segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Difícil É Ser Simples

Tão simples e tão bonito

A grande colega Fernanda Montenegro certa vez falando sobre dramaturga disse que em se tratando de representação o “difícil é fazer o simples”.

Hoje eu vou mais além: difícil é ser simples.

Ser apenas isto: simples. Deixar de lado os labirintos da mente duvidosa; deixar de lado a soberbia e aquele ar de “eu sou mais importante que você”. A vaidade advinda de cargos honoríficos, ou de diplomas de doutor. A arrogância adquirida pelo fato de ser uma “celebridade’ ou até mesmo uma “subcelebridade”, termo que por si só assemelha-se a uma medalha no peito do medíocre metido a famoso.

Ser simples, nada mais.

Se atentarmos para o milagre que é estarmos vivos sobre um planeta rochoso que gira sobre seu próprio eixo e viaja pelo espaço infinito a uma velocidade incrível...apenas isto deveria bastar para que fôssemos cada vez mais simples. De uma simplicidade que só a humildade permite.

Mas como é difícil. Difícil é fazer o simples. Difícil é ser simples, quando pode ser tão fácil...

Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br Foto: James Byng em "The Woman in Black"

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Humor Exige Ética

Observe a ética dos clowns e aprenda com eles.

Ética no humor? Existe sim. Muito embora nos dias de hoje diversos arrivistas do humor tentem negá-la, ela existe sim.

Por ser o humor uma arte a falta de ética manifesta-se sempre que ocorre o mau gosto na piada, no chiste, na charge ou na anedota.

Mas o que é o mau gosto para uns pode não ser para outros, pode-se argumentar. Claro sempre haverá quem discorde. É natural a divergência. Mas tomemos como mau gosto aquilo que o senso comum da sociedade condena e declara como de mau gosto, como por exemplo uma senhora que de boa vontade oferece o leite materno para alimentar dezenas de crianças, sendo chamada em veículo público de vaca leiteira, para que o humorista consiga alguns risos, é - no senso comum - de mau gosto. Logo, antiético.

Não precisa ser doutor em ética pra saber quando ela é rompida. Humoristas grosseiros, sem formação, parecem desconhecer o dito: “É lícito? É. É ético, não! ”. Em nome da licitude, por exemplo, nossos políticos em sua maioria incorrem em atos antiéticos que causam repulsa ao senso comum. Neste nome também muitos comediantes pagam mico achando que estão fazendo bonito, quando estão apenas alimentando perversões e maldades em lugar da Graça.

Ética existe sim. Vem acompanhada do bom gosto, da elegância e da harmonia. Sem essas três qualidades não temos humor, sequer graça. Só desgraça.

Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br
Foto: Clown Bar by Suzy Sadler

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Era Um Casal Idoso Atravancando a Calçada


Voltava do supermercado carregando sacolas. À minha frente um casal de idosos, caminhando devagar, retardavam meu passo. Também sou idoso, mas eles eram muito mais. Passavam ambos dos oitenta anos.

Fiquei caminhando devagar atrás deles e observando-os. Fiquei imaginando o quanto já haviam vivido e amado. Os dois, graciosos na mais longeva idade, de braços dados. Pelos calçados dos dois percebi a presença do diabetes. (Há calçados especiais para diabéticos).

Continuei caminhando devagar atrás deles saboreando aquele momento de graça, de um casal amoroso que continuava amorosos apesar de todas as idades.

Foi quando a senhora sentindo a minha presença atrás deles disse ao marido:

-Estamos atrapalhando as pessoas que querem passar.

Foi o bastante para que este que vos escreve, que já é chegado a falar e a palrar entabulasse uma conversa com os dois:

- Não há pressa. Vocês não atrapalham nada. Tem todo o direito adquirido.

Eles sorriram agradecidos conversamos um pouco mais, sobretudo falamos de quedas que acometem os idosos nas ruas por perda de equilíbrio, e segui em frente com uma imensa felicidade no coração.

Depois de alguns passos olhei pra trás, como para ver se eles estavam bem...mas qual! Eles haviam desaparecido. Devem ter entrado em alguma loja, ou prédio... mas tão rápidos assim?

Até agora não sei se eram reais ou a magia do meu inconsciente brindou-me com aquele momento cheio de amor e graça.

Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

A Realidade Brasileira e o preço dos Smartphones

Caríssimos em pouco tempo viram lixo

Num País onde o salário mínimo é de menos de R$ 1.000,00 celulares custando quatro ou cinco vezes o valor do salário mínimo é uma afronta e um abuso econômico.

Não consigo imaginar o porquê de serem tão caros no mercado brasileiro.

Pode ser que ao preço de 1000 dólares sejam acessíveis nos EEUU, mas num Brasil de salário de menos de 300 dólares são absurdamente caros.

Claro que existem modelos bem mais baratos, mas giram em torno de 250 dólares.

Isto somado às altas tarifas que se paga pelas chamadas de celular e pelo uso da banda larga deve fazer do Brasil, creio eu, um paraíso para as empresas de telefonia móvel.

Não é à toa que agora a Anatel libera o uso limitado de internet para os assinantes. Aumentando ainda mais o lucro das empresas do setor.

Num País de população de maioria pobre e de baixa classe média estes preços tornam -se exorbitantes, e se somarmos a isto a total falta de segurança em que vivemos nas nossas idades ,imaginem o que é fazer um esforço para ter um aparelho de milhares de reais e perde-lo num “bote” de um pivete ou num hoje “corriqueiro” assalto de rua.

Enquanto os trabalhadores suam para conseguir comprar um celular, os bandidos tem centenas de celulares, de todas as marcas e tipos nas suas mãos.

Um País onde os homens de bem pagam um preço muito caro para serem do “bem”.

Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br