segunda-feira, 25 de junho de 2018

O Fim do Bordão no Humor Brasileiro?

Chico e seu bordão : " E o salário, ó!"

Pouca gente percebeu, mas a mudança foi radical: sumiram com os bordões.

O “bordão” - que ainda encontramos em personagens da Praça da Alegria, é um dos pilares do nosso humor latino que provém da Commedia Dell'arte italiana.

O bordão caracteriza cada personagem de comédia popular. Bordões ficaram famosos por séculos e séculos. Sempre funcionaram enquanto nosso humor tinha por matriz a Península Ibérica e a Comédia Franco Italiana, ou seja, enquanto latinos.

A invasão cultural neocolonialista vinda dos EEU chega arrasando a terra já cultivada. O humor estadunidense não tem bordões. Não tem origem latina. Seguindo esta linha os bordões foram retirados do humorístico na tela platinada.

Sinal dos tempos, e não há jeito de ser de outra forma. Mas é lamentável que até no humor seguimos o modelo norte americano abrindo mão das nossas origens culturais.

Pra quem ainda não localizou o bordão, por exemplo, o Zebedeu tinha um: “Não me queira mal que eu só sei querer bem. ” O Brasilino que eu fazia na Escolinha tinha o seu: “Só se for na França”. O cômico Zé Trindade tinha um famosíssimo em seu tempo: “O negócio é mulher! ”. Zezé Macedo com Dona Bela tinha o bordão “Ele só pensa naquilo!”.

Assim como um dia a turma da praia de Ipanema determinou que contar piada era brega e as piadas foram desaparecendo do cenário nacional, assim como a turma do Rio determinou que stand up não pode contar piada e as piadas foram sumindo dos shows de humor, agora são os redatores de humor, mais jovens, que determinam o fim do bordão.

Melhor para o humor? O tempo e os costumes dirão.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Controlar as Emoções é Tarefa Permanente


O sangue ferve, o coração acelera, os músculos enrijecem...todos os sintomas de um animal sob estresse e pronto para o ataque. Se o cérebro não controlar este fervor sanguíneo teremos uma explosão emocional. É assim que funciona.

Quer seja um aborrecimento na fila do supermercado, quer seja uma discussão na Câmara dos Deputados. Não há esconderijo possível para as emoções humanas.

Da minha parte procuro controlar a raiva, a ira, com humor. Uso sempre de bom humor, um sorriso, uma piada, uma ironia...e isso vai me acalmando as emoções.

Mas estou falando de raiva e ira, mas há também as chamadas emoções “felizes”, como apaixonar-se perdidamente; como deixar de ser justo em nome de uma paixão; tripudiar sobre o próximo após uma vitória numa simples partida de buraco...

O coração sente, o cérebro controla. Se não for assim seremos derrotados sempre, em quaisquer instâncias, porque apenas com emoções somos capazes de nos atirarmos de cabeça contra um muro de concreto ou de saltar de uma altura de vinte andares porque o coração nos diz que podemos voar.

Imaginem - como exemplo - eu que sou ator, o estrago que posso fazer se não souber controlar as emoções quando represento uma personagem? Por tudo isso gosto muito da frase bem humorada: “Muita calma nessa hora!”.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br
Foto: Denzel Washington, Viola Davis & Stephen Henderson em 'Fences'

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Na Árvore da Vida Você É Folha ou Fruto?

Guardei a folha como lembrança de um momento único

Estava eu posto em sossego observando a Natureza num dos parques florestais do Rio. Sentado em silêncio vi o cair de uma folha. A Natureza depositou-a suavemente sobre a terra à minha frente. Pouco depois uma manga caiu pesadamente ao solo, esborrachada, aberta, sangrando seu sumo. E eu estava justamente pensando por que as pessoas boas muitas vezes morrem cedo, de modo abrupto, ou mesmo quando maduras, com muito sofrimento, enquanto gente muito má vive o tempo além do tempo e morre suavemente como a folha que caiu aos meus pés.

É sempre uma pergunta que o povo faz quando morre alguém bom: - Por que este homem bom morreu assim, enquanto aquele malvado continua vivo e feliz?

É a árvore da vida, percebi… há pessoas que não são frutos. São como folhas estéreis, que se despregam leves e suaves da árvore. Há outras que são generosas, como um fruto suculento. Quando maduras, ou atingidas por um imprevisto como uma tempestade, desabam dolorosamente sobre a terra. Mas mesmo assim, por sua generosidade, levam consigo a semente que uma vez na terra gerará mais e mais vida, mais e mais frutos.

Divagação que tive que interromper. Começou a chover. A bendita água caindo generosamente sobre tudo e todos: folhas e frutos, inclusive sobre mim, que enquanto me abrigo da chuva penso se vou ficar ou não pra semente.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br

terça-feira, 5 de junho de 2018

10 ANOS Atemporais e Eu

Serginho Clemente e Wesla de Souza em "Zona Oeste, Zona Sul" (2008) no palco do Circo Voador

Primeiramente,

Só tenho de agradecer a DEUS por ter chegado aos 10 ANOS com a Cia. De Teatro Atemporal. Pois somente ELE para me conceder força, disposição e amor por este projeto.

Serginho Clemente (à esq.), Wesla de Souza e Durval Moreira em "Zona Oeste, Zona Sul" (2008) no palco do Circo Voador

Começamos com uma proposta e ela tomou uma proporção maior e melhor do que eu imaginava. Por mais que por duas vezes pensei em abandonar a companhia e em uma ocasião ter divulgado isso aqui no Blog, a arte do Teatro Atemporal sempre fala mais alto e sempre estará em minhas veias.

Foram duas peças, aprendizado, amizades e muitas experiências marcantes. 

"Zona Oeste, Zona Sul" (2008) no palco do Teatro SESC de Madureira

Agradeço imensamente a todos que trabalharam comigo aqui e a você que acompanha nosso Blog e nossa Página no Facebook.

Tenho convicção que os próximos anos serão ainda mais atemporais!

Parabéns pelos 10 Anos, Cia. De Teatro Atemporal!

"No mundo teatral, sou ATEMPORAL!"



10 ANOS ATEMPORAIS


Neste dia muito especial a Cia. De Teatro Atemporal completa 10 ANOS de existência. Sim, 10 ANOS.

Foram muitos obstáculos superados e muitos objetivos alcançados, que o sentimento de que todo o esforço realmente vale a pena ganha cada vez mais força diariamente.

Por todas as dificuldades vencidas, pelo respeito incondicional a todos os integrantes que fizeram parte desta companhia e principalmente pela honestidade, consideração e amor do único integrante presente, Serginho Clemente, e a você que sempre acompanha nosso Blog e admira nossa companhia, vamos desejar todos juntos um Feliz Aniversário para Cia. De Teatro Atemporal!

Os próximos anos serão ainda melhores! Que DEUS abençoe nossa companhia cada vez mais!

"No mundo teatral, sou ATEMPORAL!"

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Meu Caminhãozinho



Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br