segunda-feira, 14 de maio de 2018

Do Terror de Ser Gay


Um grande amigo passou boa parte da sua adolescência apavorado, dividido entre ser ou não ser. Ele mesmo se perguntava: - Será que eu sou gay? E se for? O que fazer?

Um pânico que durou anos, afinal ele não era desta nova geração, a Geração Cristal que mal sai às ruas e já sabe tudo sobre a diversidade sexual.

Hoje é tudo bem mais fácil. Um filho de uma grande amiga, aos 15 anos disse a ela: - Mãe, quero ser bissexual.

Dois anos mais tarde disse: - Decidi, quero ser homossexual.

Assim. Simples, sem escândalos, sem culpas, sem terror.

Ao contrário de outro grande amigo da minha geração, hoje Doutor formado, internacionalmente renomado, que prometia ao Santo que iria de joelhos da Cidade Alta até a Igreja do Bonfim, em Salvador, se ficasse "curado" do desejo que possuía pelos homens. Acho que o santo fez ouvidos moucos, e hoje o culposo de antanho é um assumido e sério senhor gay... e ateu.

Mas se você, jovem ainda tem alguma dúvida sobre a sexualidade e fica em dúvida se é gay ou não, aprenda o que eu ouvi de um desses ninfetos da Geração Cristal:

- Se você achar um desperdício um homem bonito com uma mulher feia...não há cura nem salvação, aproveite, é só alegria: você é gayzão mesmo!

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; blogdobemvindo.blogspot.com.br
Foto: Cena da Peça 'Slipping.’ (Captura via YouTube)

Um comentário:

  1. O erro maior está em se preocupar com o que os outros pensarão a respeito da orientação sexual e deixar de amar. Amor não tem sexo. :)

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.