segunda-feira, 26 de março de 2018

A Corrupção Dentro de Nós


Tempos de cair as máscaras dos corruptos. Tempo de iluminar as trevas onde campeia a corrupção. Até aí tudo bem, tudo muito simples, e não se fala em outra coisa

Mas na verdade a pior corrupção começa mesmo é dentro da gente.

Mas, diz um velho sábio que a corrupção não se limita a receber dinheiro por baixo da mesa. A corrupção começa dentro da gente. A partir da corrupção da nossa essência humanista. Quando em nosso egoísmo pensamos apenas em nós , em nossos interesses, em nossos desejos...aí já começa a corrupção. A corrupção primeva que nos levará a outras. Porque pelo meu ego sou capaz de subornar e ser subornado, corromper e ser corrompido.

Dentro de nós mesmos começa a brotar a plantinha da corrupção. Na batalha pelo Poder, sucesso, fama, dinheiro e riqueza, seremos capazes de esquecer do próximo, passar por cima de obstáculos, ferir a ética e até mesmo o lícito para alcançarmos os objetivos traçados por nosso individualismo.

Então, ao apontarmos o dedo para o corrupto que conhecemos, lembremo-nos que há quatro outros apontando para um corrupto que a gente não percebe, e que está dentro de nós.

Combatamos a corrupção sim, a começar pela nossa, a corrupção do humano, início de todas as outras.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

segunda-feira, 19 de março de 2018

Quem Tem Um Animal de Estimação Tem Auto Estima Aumentada

Cheguei a levar minha basset para gravações

Quem tem um gato, ou um cão de estimação tem menos solidão que aqueles que vivem sozinhos e não curtem uma companhia que só tem amor incondicional ara lhe dar.

Quer amigo mais fiel que um cão? Quantos idosos conversam com seus bichos queridos, compartilham com eles suas alegrias, seus momentos de tristeza, e seus afetos...

Durante a minha vida tive vários cães, sou apaixonado por cães. Gosto dos grandes, como os pastores, os rotweillers, ou os golden retrievers, mas quem me cativou mesmo foi uma “salsicha” , uma pequena basset datschund que me acompanhou por anos, até sua morte.

Guardo-a na lembrança feliz da minha vida.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

segunda-feira, 12 de março de 2018

Amor e Desamor


Tirando os casos patológicos tudo que o ser humano mais deseja não é o dinheiro,nem a fama. É o amor. É ser amado. Ja na primeira infância um seio materno farto,generoso e carinhoso prepara um caminho pacificado para a vida. O contrário já provoca carência, insegurança, desejo não satisfeito e por consequência raiva incontrolável que vai refletir-se num caminho ressentido e magoado para o futuro.

Se na puberdade e na adolescência também não se consegue o carinho e amor desejados, com pais ausentes ou frios, está aberta a temporada de ira para

o futuro adulto. Permita Deus que mais tarde encontre uma companhia que lhe dê a certeza de que é amado. Caso contrário todos à sua volta sofrerão com seus ataques de fúria e ódio. Será um péssimo chefe, um péssimo colega, um péssimo familiar. Uma pessoa com raiva de tudo e de todos. No mais das vezes um homicida involuntário numa explosão de raiva.

Não sabemos com que histórias terríveis do outro estamos lidando quando estamos no trânsito,nas filas, nas ruas,nas festas..portanto ter o amor em si é sempre pronto a distribuí-lo ao próximo é sabia lei ue nos permite viver em paz neste mundo.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

segunda-feira, 5 de março de 2018

O Que é Mais Difícil? A Comédia ou o Drama?

Quando rir, ria com toda a sua alma e o mundo brilhará para você.

Fazer rir ou fazer chorar? O que é mais difícil?

Esta é uma pergunta que me fazem sempre. E a considero um equívoco.

O antônimo do Riso não é o Choro. É a Culpa.

É a angústia do castigo no porvir.

É a ameaça poderosa que faço ao meu Próximo, à alma infantil do meu Outro, torturando-o com a ideia de que um castigo medonho, como ele nunca provou — pura fantasia —, pode desabar sobre ele por pecados e transgressões desconhecendo a possibilidade do perdão que pacifica a dor.

Tolher o riso no outro é simples: faço-o mergulhar no mais profundo das suas trevas primais; aceno-lhe com a possibilidade de ter de encarar seus demônios abissais — frutos de seus sentidos eróticos- e a criança que é o outro para de rir, fica séria, está a um passo do choro, da dor, do drama e da tragédia, que não está no próximo mas em si mesmo, e que, por perversão e prazer mórbido, não divide com ninguém, carregando — ou se propondo a carregar — toda a tragédia da Humanidade sobre seus ombros. Aí, chora! O choro é um pedido de perdão aos seus medonhos torturadores internos.

Não há nada lá fora. Tudo está dentro de nós: a culpa, o medo, o choro, a doença e a cura, a alegria e o riso.

O riso é o perdão que cada homem, com sua erótica — vital — humanidade, porta consigo.

Porta da vida.

Porta aberta a si mesmo e ao outro. Assim a pergunta inicial se transforma: “O que é mais difícil? Perdoar ou culpar? Aceitar ou condenar? ”

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com