segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Humor, Graça e Comédia

Como "Cerveró" no filme "Até Que a Sorte Nos Separe 3 "

Tive meu interesse despertado para o humor como estudo e compreensão após a leitura de uma série de artigos de Artur da Távola, em 1984. Até então, embora fizesse já comédias e humor, considerava isto uma coisa normal, sem muita elaboração e teorias. Um dom natural que eu havia recebido e que desempenhava como forma de ganhar meu pão.

Foi quando li Artur da Távola que tive meu interesse despertado para aprofundar-me mais n o estudo da comédia.

Artur divide o gênero em três estamentos distintos: O Humor, a Graça e a Comédia. (Título que mais tarde daria a um livro meu) . Mas não isenta o ator de trabalhar com os três gêneros num mesmo trabalho. Há momentos em que o ator usa apenas da graça, outros em que usa do humor e outros, da comédia, e há momentos em que ele usa um como trampolim para o outro, saltando, como um trapezista, e levando as emoções da plateia em seu salto.

Concordo com Artur da Távola. São três momentos distintos. O ator de comédias, em cena, ou o comediante, às vezes se desespera com a ausência da gargalhada, com o riso estridente, ininterrupto da plateia.

Já disseram que o riso é a dependência química do comediante. Ele é viciado em ouvir o riso da plateia. Se depender do comediante, a plateia não ficará um minuto sequer sem dar uma gargalhada, mesmo que para isto tenha ele que sacrificar o texto do autor, o direção e até os colegas em cena.

Aviso aos ansiosos, viciados na gargalhada do público: um momento silencioso na plateia pode estar cheio de Graça, como o sorriso da Monalisa. A plateia pode estar com este sorriso nos lábios e apreciando e engraçando-se com o espetáculo; pode estar com os dentes à mostra, num riso maior, pleno de humor, e, só depois, pode arrebentar em estrepitosa gargalhada, confirmando a comédia.

É assim que Artur dividiu em três níveis o Riso.

Estes três momentos, existem sempre nas comédias. São um em três. E são três, em um.

Este é o mistério do riso e da nossa profissão.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

Um comentário:

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.