segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Nem Sempre a Maioria É Sábia

Hitler tinha o apoio absoluto da maioria do povo alemão

Os regimes políticos sobre os quais se baseia a nossa Sociedade é reflexo exato das nossas crises emocionais, da nossa incapacidade de sermos racionais, e de desejos carnais desesperados por Poder e Ganância.

Certa vez uma atriz francesa me disse que se o povo francês não desejasse a Alemanha jamais ocuparia a França. Ocupou pela omissão do povo. Enquanto patriotas lutavam e resistiam a maioria pensava em trabalhar e ganhar o pão de cada dia, mesmo que o pão tivesse gosto amargo do nazismo.

Nos sistemas políticos o que hoje é verdade e consagração, amanhã é mentira e vergonha. Em 1934 o regime nazista alemão cassou a nacionalidade alemã de Albert Einstein. Isto não mudou nem um átomo nas suas descobertas, na sua busca científica. Vergonha para o governo alemão nazista.

Corroborando o que me disse a amiga francesa, na data de hoje, em 1936 a Alemanha realizou um plebiscito, e 99% dos eleitores aprovaram o regime nazista. O regime nazista não pé fruto de um louco apenas. É fruto da loucura de toda a sociedade alemã da época. A maioria absoluta. O que nos leva a meditar que por ser maioria, certas escolhas nem sempre podem estar certas.

A massa é facilmente manipulável, sobretudo em tempos de crise se “salvadores” acenam a ela com a possibilidade de mais prosperidade e fartura.

A mesma massa que apoiava Mussolini aplaudiu que ele e sua amante fossem linchados e pendurados de cabeça pra baixo até a morte.

E assim seguimos nós, à mercê dos interesses gananciosos de políticos inescrupulosos, servindo de bucha de canhão para manobras políticas que nem imaginamos, mas que estão acontecendo no Brasil e em todo o mundo enquanto lemos este artigo.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.