quinta-feira, 30 de junho de 2016

Humor – O Comércio da Saúde


Há uns meses atrás caminhava pela rua quando senti uma dor no peito à medida que andava. Caminhei mais devagar e a dor foi passando.

Um dia em que eu estava de bobeira, as seis da tarde, passei em frente a um destes hospitais onde tenho plano de saúde e pensei: - Vou entrar pra tirar a pressão, aquela dor foi muito estranha.

Entrei e na sala de espera enquanto aguardava um senhor chegou e teve um enfarte na minha frente. Minha pressão já subiu um pouco...

Entrei na sala do médico e avisei logo pra ele: - Minha pressão vai estar 15 por 10, porque fiquei nervoso vendo o enfarte e fico nervoso quando vejo a turma de uniforme branco.

Ele não teve nenhuma reação humana. Parecia estar em outro universo.

Tirou a pressão. Na bucha: 15 por 10!

Abriu uma porta lateral do consultório e disse: - Entra aqui.

E de repente me vi dentro do CTI do Hospital.

- O senhor aguarde aqui que daqui a pouco a cardiologista vem lhe ver.

Aí um enfermeiro me deu aqueles aventais que a gente fica de bunda de fora, e eu mais nervoso ainda já imaginando transplante de coração e coisas assim.

Junto a mim um senhor de idade estava moribundo respirando com aparelhos; à minha volta o cenário parecia um campo após uma batalha. Aos olhos deste criador eram mortos e feridos para todos os lados.

O enfermeiro me pôs numa cadeira de rodas e fui levado a um Raio X de tórax. Na volta mandou-me deitar e me ligou a dezenas de fios e aparelhos fazendo plim-plim (e não era a Globo).

Um frio danado pelo ar condicionado e eu sem uma coberta e de bumbum de fora.

Consegui alcançar meu celular e disse à minha mulher;

- Amor, eu tou no CTI...

- Eu estou vendo a novela, você acha que eu devo ir?

- Não. Desculpe incomodar.

E resignei-me, afinal por que interromper o sagrado momento da novela?

Frio, muito frio. A bexiga já reclamando...fios pra todo lado. Afinal, às 10 da noite apareceu a médica e olhou os parelhos e disse - O senhor está com a pressão 19 por 12.

- Claro Dra.. Se a senhora me deixar urinar eu juro que ela baixa em seguida.

Fui levado de novo em cadeira de rodas até o banheiro. Verti água e voltei. A pressão foi baixando na hora.

Ela olhou todos os eletros, ressonâncias, radiografias e disse: - O senhor não tem nada. Mas é melhor fazer depois um exame mais profundo. E fui liberado daquela arapuca as 10 e meia da noite.

Mais tarde fiz os tais exames profundos.

Mas nessa o Hospital faturou uma grana em cima do plano de saúde com todo o custo de 4 horas e meia de CTI com direito a todos os exames anteriores e posteriores. E eu de cobaia no comércio da saúde.

A dor? Eram apenas gases.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

Um comentário:

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.