segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

A Barba de Cinco Dias, Moda do Momento

Não sei porque, mas desconfio que essa moda vem de Hollywood. (risos).

É moda entre a garotada (já nem tão garotos assim) a barba de cinco dias.

O que é isso exatamente? É aquele rosto masculino que traz estampado uma pequena barba por fazer.

Não grande demais que os torne ortodoxos radicais, nem pequena demais que os torne imberbes adolescentes.

Não. Há uma medida certa: cinco dias. E muito bem aparada para que dê a impressão certa de desleixo medido e comedido.

Na verdade a barba já está lá, no rosto, há mais de ano, mas tem que ter a aparência de cinco dias. Nem mais, nem menos.

Ai dos que tem falhas de barba, ou dos imberbes: perdem a disputa das garotas no mercado das paixões emocionantes.

Observo a barba dos judeus ortodoxos...dos muçulmanos...a barba dos antigos militantes petistas...a barba dos cubanos de Sierra Maestra...a barba dos políticos e barões do século 19...eram barbas de respeito!!!

A barba de Leon Tolstoi. Aquilo sim era uma barba!!!

Tolstoi

Barbas históricas sob as quais podia-se imaginar um mundo de criaturas microscópicas, mas vivas, pululando de alegria protegidas do sol e demais adversários.

Hoje as barbas higiênicas, assépticas da garotada. Barbas eróticas, sexualizadas, cuidadosamente aparadas para o único objetivo: o charme contemporâneo.

Não a barba ou o bigode do qual se arrancava um fio e com ele honrava-se os compromissos. Nada disso.

Mas seja como for, a barba ou a raspagem dela revelam sobretudo um código de expressão de um indivíduo na sociedade, em qualquer época, desde os barbudos filósofos gregos do século V AC até os barbudos gays dos EEUU de hoje, ou aos lisinhos e depilados galãs de academias.

Entre Tolstoi e ele muitas signagens sociais.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

2 comentários:

  1. Olha barba requer higiene constante, eu tenho alergia rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. É caso para dizer:mudam-se os tempos, mudam-se as barbas...
    Beijo.

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.