segunda-feira, 30 de março de 2015

Quando os Médicos Dizem:"É Simples."

Fui fazer um exame de rotina das coronárias na sexta feira passada.

Uma chamada angiografia coronariana.

Dizem os médicos : um exame simples onde injetam iodo na sua veia para detectar qualquer obstrução das artérias.

Menos invasivo que um cateterismo.

Fui para a clínica levando comigo o terror escondido nas entranhas.

Tenho pavor a tudo isto. Sobretudo quando os médicos dizem: " - É simples."

Chegando à clínica minha frequência cardíaca estava em 75 batidas por minuto.

Eram necessárias 60 para que pudessem realizar o exame.

Deram-me dois comprimidos de Propalonol para diminuir a frequência.

Quarenta minutos depois estava ainda a 71 por minuto.

Mais três comprimidos para baixar os batimentos.

Eu, adrenalina pura.

Quarenta minutos depois levaram-me pra dentro da sala de exames me enfiaram num tudo intergaláctico e aplicaram mais uns 5cm de anti-hipertensivo na veia para baixar os batimentos.

Nada.

Logo depois mais 5cm na veia.

Por fim o cardiologista resolveu suspender o exame. Marcar para outro dia.

Saí da sala relaxado.

Com o relaxamento a adrenalina cessou, e então todo aquele monte de anti-hipertensivos que tomei, associado a 14 horas de jejum, afinal fez efeito: desmaiei!

Minha mulher, Doia, ainda tem a pachola de me dizer que eu é que atraio... kiakiakiá!

Seja como for, quatro horas depois de ter dado entrada na clinica para um exame de apenas dez minutos, saí de lá sem ter feito o exame, e ainda mais traumatizado, sobretudo quando um médico diz pra mim:

"- É simples."

Help!!!!!

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

sexta-feira, 27 de março de 2015

Hoje É O Dia Mundial do Teatro


Hoje abro espaço para comemorar com vocês o Dia Mundial do Teatro.

Uma arte com mais de três mil anos.

Da Antiga Grécia, para a Imperial Roma e de lá para toda a Europa, espalhando-se depois por todo o mundo ocidental.

Há teatro na Ásia também, no Oriente, mas na China, Tailândia, Japão... assumem formas e dramaturgia diversas das nossas.

Mas é Teatro. Sempre o Teatro.

A forma que a Humanidade escolheu para representar a si própria, às suas grandes tragédias e aos seus risíveis costumes .

Faço teatro há 48 anos.

Curiosamente eu não escolhi o Teatro, ele me escolheu.

O ano era 1966, Ditadura Militar. Nós, jovens idealistas precisávamos encontrar meios de expressão na luta pela Liberdade e pela Democracia.

Então juntamos e formamos um grupo de teatro na Ilha do Governador, no Rio.

O único objetivo era a denúncia, não era exatamente o Teatro. Mas fomos ficando... e fui ficando...quando percebi já fazia teatro há mais de dez anos.

Foi quando ajudei a fazer a Lei que regulamentou a profissão de Artista e recebi o Registro Profissional nº 01.

Jamais pensara antes em ser ator. A vida tormou-me um profissional das artes cênicas.

Recebo como um presente, uma dádiva, esta profissão.

E hoje festejo junto com meus milhares de colegas em todo o Mundo o "Dia do Teatro".

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;
Foto: courtesy of Visions and Voices.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Os Atores Trabalham Com o Verbo


Nós, atores, trabalhamos com o verbo.

É extatamente procurando qual verbo comanda a ação da cena, do texto, da peça ou do capítulo que descobrmimos como interpretar a nossa parte.

Porque o verbo é ação.
O verbo denota ação.

Por exemplo, em uma frase simples: "João atira uma pedra em Paulo!". Perguntamos: quem atira a pedra?João. Logo o protagonista desta ação é João. Isto determinará protagonista e antagonista, ou protagonistas e coadjuvantes.

O verbo sempre me fascinou, pois ele é que determina todas as ações.

Substantivos, advérbios, adjetivos, são como planetas e luas ao redor do sol que é o verbo.

No início da profissão, ou da vida mesmo, é muito dificil localizar o verbo, trabalhar sobre o verbo...
Mas com a maturidade profissional e vivencial a gente percebe o Verbo com a mesma facilidade com que um pescador percebe as marés.

Todo este preâmbulo é para dizer que uma das frases bíblicas que mais me impressiona é a que se encontra em João 1.1 :
"No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus".

Fico impressionado como gente tão antiga compreendia Deus como uma ação universal.
Uma permanenete ação.
Ação cósmica.
O Big Bang, a Luz, as Trevas, o universo, o multiverso, tudo em ação.
Tudo Deus. Tudo verbo.

"E o Verbo se fez carne"

Viajo nesta frase, é o momento em que o evangelista nos informa que somos a ação de Deus encarnada.

Nos informa que somos parte de um único Sistema que de tão perfeito só pode ser chamado de divino.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;
Foto: Peça "Por Falta de Roupa Nova, Passei o Ferro na Velha" By Jefferson Hermida

segunda-feira, 16 de março de 2015

Mímica e Pantomima – Final

Chaplin, o maior dos pantomimos com seus filmes mudos. Usava também a mímica.

PANTOMIMA É A ARTE DA MÍMICA, DO MOVIMENTO CORPORAL QUE CONTA, OBJETIVAMENTE OS PORQUÊS DE UMA HISTÓRIA, COM PRINCÍPIO, MEIO E FIM...

Em Chaplin, Buster Keaton e Jaques Tati, encontramos a pantomima cinematográfica com sua gramática e técnica próprias da época.

Na dança, temos também o balé-pantomima, que procura contar objetivamente uma história.

Pantomima não é código nem idioma que se necessita aprender.

Tampouco é, através de gestos, expressões corporal e facial, tradução, imitação de palavras ou frases. A pantomima não imita nada. Cria.

Ela não tem sinônimos, portanto não pode ser sofista. Também não tem o direito, como certas palavras, livros e artes, de ser ambígua, incompreensível, subjetiva, complicada.

A pantomima tem por lei a OBJETIVIDADE, sem ser didática, chata.

- Então a pantomima é quadrada?

Não. Nem redonda ou retangular. É espiral e infinitamente dialética. Faz o espectador lembrar que tem cérebro. Que raciocina mesmo quando ri. Até quando sonha. Também quando chora.

PANTOMIMA É A SÍNTESE DOS PENSAMENTOS E DOS SENTIMENTOS.

Por isso, é que também no Brasil, a pantomima, como todas as Grandes Artes, é pouco conhecida.

Mas isso é outro assunto.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

segunda-feira, 9 de março de 2015

A Mímica e a Pantomima

Marcel Marceau, o maior mímico de todos os tempos, usava também a pantomima.

Dei início à Oficina Teatral para o período 2013/2014 visando a montagem adaptada de "O Mambembe" de Arthur de Azevedo.

No primeiro dia uma aluna perguntou-me a diferença entre mímica e pantomima.

Expliquei como pude, exemplificando no momento. Depois fiquei pensando e achei que seria legal postar aqui um pouco sobre isto.

Nas artes cênicas a mímica e a pantomima aparecem com o teatro romano, atravessam pelo teatro medieval e chegam até os dias de hoje.

Mímica é movimento. Ela está presente na pintura, na música, na escultura, balé, na linguagem do surdo-mudo, na dublagem, dança, na alegria, tristeza, no ódio, no amor.

Mas quantas vezes uma pessoa está dizendo algo, e sua cara está provando justamente o contrário?

Mímica todos nós, animais, fazemos. Também na natureza os pássaros, o mar, o vento. Na vida, todo movimento é mímica. Mímica é toda a vida. Onde não há vida, não há movimento, mímica.

Mímica é também ir ao Golfo Pérsico, ao Oriente Médio, e sair vivo. Aí continuamos tenho a mímica. Se não é porque estamos mortos.

Pantomima, é saber o porquê, quais os verdadeiros motivos que levaram soldados norte-americanos ao Oriente Médio, e porque tudo aquilo está acontecendo lá.

Na próxima segunda feira postarei sobre a Pantomima.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

segunda-feira, 2 de março de 2015

As Relações Superficiais Com a Profissão

Nelson Rodrigues

Sei que envelheci. Mas seria igual quando eu era jovem? Ou o Mundo realmente mudou?

Falo do desespero de uma juventude seduzida pelo consumo e pelo sucesso imediato e a qualquer preço.

O desespero de que as coisas aconteçam imediatamente, independente de terem se preparado para tais ou não.

No caso da profissão de ator é uma infinitude de cabecinhas jovens desesperadas em saber como virar sucesso da noite para o dia.

E sucesso nestas cabecinhas significa carrões, mansões, fama, paparazzos, outdoors estelares... um mundo de fantasia vendido a cada minuto pela sociedade de consumo, onde as coisas acontecem como mágica.

Nem como milagres, porque até para milagres é preciso perseverar na fé.

Não! O apelo é imediatista. Fique famoso no próximo minuto. Não dá nem pra esperar um dia!

A nossa profissão de ator é diferente do show business.

Profissão pressupõe ação ou resultado de professar ('reconhecer publicamente', 'jurar') como está no Houaiss.

É um sacerdócio. Pressupões perseverança, persistência, vocação, sacrifício, estudo, observação e sobretudo humildade e paciência.

O que essa garotada seduzida deseja é ser devorada. Consumida como produto. Coisificada, não importa onde nem como.

Fico muito triste quando deparo-me com situações do tipo:

- "Como faço pra entrar pra televisão?"

Ora, é só atravessar a soleira da porta.

Entrar pra televisão é uma coisa. Ser um profissional de artes cênicas para o resto da sua vida, independente se será famoso ou não é outra coisa.

Por isso que considero até hoje o melhor conselho a jovens foi dado pelo sábio Nelson Rodrigues:

_ "Eu recomendo aos jovens: envelheçam depressa!"

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;