segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Não Precisam Berrar nos Meus Ouvidos, Já Sei que é Natal

Símbolo que tem mais a ver com o pecado da Gula que com o espírito do Cristo.

Sei que o comércio aproveita datas como o Natal para aumentar suas vendas e crescer junto com a economia nacional. Isto é bom e necessário.

Mas são uma loucura os dias que antecedem a festa máxima da cristandade.

É um Feirão onde supostamente estão nas prateleiras: amor, fraternidade, família, netos, avós, enfim: família, credores, clientes, e todos mais.

Aos berros os varejões nas ruas rádios e tevês gritam:

- É Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!!

Num escarcéu tão grande que rouba o sono do menino que dorme na manjedoura.

Mergulho em jejum midiático.

Procuro ao máximo abster-me de contato com o mundo da informação neste período.

Curioso é que a partir do dia 26, a mídia não falará mais do Natal.

O mote já será outro, num suceder desesperado de varejões supostamente humanistas e fraternos.

Mas pelo menos, só no próximo ano ouviremos de novo:

Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!! Natal!!!

Até que esvaziem por completo o significado da palavra.

Mas... "até aí morreu Néris." Pois o estresse completa-se depois de todas as compras, festas, glutonarias e obrigações mis, com os telefonemas, sms, cartões virtuais, mensagens de todos os tipos que você se vê socialmente obrigado a enviar para pessoas que por 365 dias antecedentes nem sequer as viu ou dirigiu a palavra.

Procuro nesta época otimizar ao máximo as obrigações criadas para uma data que deveria ser de meditação, recolhimento, e excelsa alegria.

A tradicional ceia, por exemplo, (que já virou uma maratona de glutoneria) aqui em casa já otimizamos, indo agora em todo o Natal, com a família e amigos,

para mesas reservadas em casas de pasto nesta urbe.

O tempo e o silêncio conseguidos com esta praticidade natalina procuramos usar buscando o real significado da data natalícia.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

Um comentário:

  1. Muito acertado!
    Natal só no dia 25 é uma maneira de nos desculparmos conosco mesmos pela nossa indiferença ao que acontece nos outros dias do ano.
    Mesmo assim.... Feliz Natal!

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.