segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Como É que Estamos de Público?

Campeões de público também se perguntavam

Esta é a pergunta que todos os atores fazem antes de começar o espetáculo: "Como é que estamos de público?".

Talvez seja a mais antiga questão que preocupa todos os atores desde a Antiguidade.

Divago e vejo todos os grandes mestres da arte de representar em seus camarins maquiando-se e indagando ao camareiro ou ao produtor:"Como é que estamos de público?"

Não se trata apenas de uma preocupação com o numerário, mas sim para que quantidade e tipo de público iremos representar naquela noite.

É uma curiosa angústia e expectativa que vai apossando-se do artista à medida que aproxima-se a hora da representação.

Tudo afeta a afluência do público: a chuva, o sol, o calor, o frio, o trânsito, a greve, o jogo, o vento, o tiroteio,o fim do mês , o início do mês...

Tenho um grande colega, grande ator e diretor, um dos maiores e mais cultos do Brasil que aqui protejo o nome, mas que nunca fez sucesso. Chega a dizer brincando:"Quer aprender fracasso venha trabalhar comigo". Uma noite fez ele a tal pergunta ao produtor, que lhe respondeu:

- Estamos fracos de público.

- E o tempo?

- Chove.

- Ótimo já temos uma justificativa!

Hoje tenho apresentação à noite aqui em Friburgo de onde escrevo estas linhas. Hoje à noitinha portanto estarei fazendo ao produtor a secular pergunta:

- Como estamos de público?

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

3 comentários:

  1. Meu amigo

    Com este texto transmitiu tão bem a angústia do artista cujo trabalho, sucesso ou insucesso, depende literalmente da afluência ou não público. Lembrei-me de uma amiga que se voluntariou para dar aulas numa Universidade Sénior e todos os anos vive a angústia de ter alunos ou não, de a sua exposição agradar ou não, se a disciplina escolhida vai ao encontro das expectativas. Porque ao fim e ao cabo, a pessoa sente-se ali exposta, a ser julgada, com não sei quantos pares de olhos atentos ao menor deslize... ou então tendo de enfrentar uma sala quase vazia.

    Bem. Penso que extrapolei um pouco, não é?

    Desejo-lhe muito sucesso, caro Bemvindo.

    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  2. Eu admiro profundamente o ator de teatro! Eles se entregam tanto sem saber se haverá um retorno... Mas, o espetáculo tem que continuar...com público ou sem ele...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sempre escrevendo coisas belas em poucas linhas. A pergunta existe sim, sempre vai existir, mas antes dela, e apesar dela, tem a perseverança, tem o amor do ator pelo teatro. Parabéns.

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.