segunda-feira, 20 de abril de 2015

O Barão Vermelho do Humor Brasileiro


Conheci Apparício Torelly, o Barão de Itararé quando ainda eu era um jovem de vinte anos.

Morava eu na Ilha do governador, no Rio e ele também.Conheci na casa de uma sobrinha dele, onde íamos sempre.

O Barão devia ter por volta de seus setenta anos, o que para um jovem de vinte anos é a mesma coisa que deparar-se com um sítio arqueológico. (risos).

Mas já naquela época eu sabia da importância do Barão nas charges e no jornalismo brasileiro, na política e nas críticas aos governos e Ditaduras.

Preso na década de 30 por pertencer ao Partido Comunista, foi um dos vereadores eleitos pelo PCB em 1946 no Rio de Janeiro.

Lembro ao leitor que no Brasil os títulos nobiliárquicos do Império eram comprados e só tinham valor por uma geração. A do comprador. Se o filho quisesse continuar barão tinha que comprar de novo.

Era um mercado próspero para as finanças do Imperador: vendia-se de marquês a barão, de conde a visconde.

Mas Torelly não pagou nada pelo seu título: intitulou-se Barão (como o barão da Barra, Salvador, Bahia, com seu famosos bloco de carnaval) e sob o pseudônimo de Barão de Itararé (Itararé foi a batalha que não houve na Revolução de 1930) revolucionou ao humor político no Brasil República.

Aos vinte anos você já sabe do mundo, mas não conhece toda a importância dele. E eu ficava olhando e ouvindo aquele senhor de barbas brancas, septuagenário, e orgulhava-me de estar vivenciando a figura de um dos mais importantes jornalistas e cronistas políticos do Brasil.

Aparício nasceu na data de ontem, em 1895. Se vivo fosse estaria com 120 anos. Morto está o homem, mas renascendo a cada dia na memória dos brasileiros.

Hoje há uma rede de blogs políticos e caricaturais com o nome de Barão de Itararé. O Barão continua presente.

Relembrem algumas frases do Barão:

“O pão do pobre quando cai no chão é sempre do lado da manteiga.”

“O emblema do médico tem duas cobras, isto significa que ele cobra duas vezes; se ele cura, cobra e se ele mata, cobra.”

"Tudo é relativo: O tempo que dura um minuto depende de que lado da porta do banheiro você está."

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

3 comentários:

  1. Gosto muito dele e de suas frases deixadas! abraços., linda semana,chica

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Que blog bacana... mais um excelente, né? Parabéns, de coração.

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.