segunda-feira, 27 de abril de 2015

“Abaixo a Inteligência! Viva a Morte!”

Nem todo fascista tem a cara do Pinochet, alguns são até "bonitinhos", são os "coxinhas": muita massa e pouco conteúdo. rsrsrs.

Este foi o grito de guerra dos fascistas espanhóis na voz do General Millan Astray, um dos generais do Ditador Francisco Franco, dentro da Universidade de Salamanca, numa cerimônia pública: "Abaixo a Inteligência! Viva a Morte!"

Ao ver as manifestações violentas, estúpidas, brutais, predadoras e vândalas dos black blocs, manifestações onde não se celebra Eros e sim Thanatos, lembro-me desta frase.

Ainda não chegamos ao nível da Espanha de Franco, mas o fascismo está presente neste grupos que se armam para depredar, espancar , destruir.

Estão destruindo a própria participação das massas populares no processo nacional. Afugentam os verdadeiros manifestantes que usufruem de seus direito democráticos.

Ontem eram os bancos, quiosques, lixeiras, telefones públicos...hoje já são veículos particulares, pequeno comércio...amanhã será o que? O que não satisfizer as estas milícias fascistas que estão tomando as ruas?

E quando, a exemplo do que acontecia durante a Ditadura brasileira, eles resolverem que certa peça de teatro, uma exposição, uma conferência ou até mesmo um show do doce Caetano que os apoiou recentemente, merecem ser purgados e expurgados? Teremos o que? Espancamento de artistas como em "Roda Viva^? Empastelamento de jornais? Destruição de obras de arte? Seremos constrangidos por eles em plena democracia?

Na democracia que vivemos a violência dos órgãos de repressão deve ser respondida com os meios legais, judiciais, e punitivos próprios de uma democracia. Uma polícia despreparada e ainda com práticas de tortura e repressão como nos tempos do Regime Militar também colabora para a re/ação dos black blocs.

Um governo que não controla a sua polícia na repressão a manifestações democráticas merece ser varrido sim, destruído, espancado, mas pelas urnas.

É uma democracia.

Usamos da luta armada como último recurso diante de um sistema militar que não nos deixava em 1968/1970 nenhuma brecha de diálogo ou de exercício de manifestação.

Mas hoje, conquistada a Democracia e os valores humanos não faz sentido centenas de "generais franquistas", quer sejam policiais ou black blocs, a gritar pelas ruas do Brasil:

"Abaixo a Inteligência! Viva a Morte!"

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

11 comentários:

  1. Olá, bom dia!
    Às vezes - muito frequentemente, para dizer a verdade - eu sinto uma pena tão grande de tudo, de todos... e uma raiva crescente dessa gente estúpida e ridícula, que não vê um palmo adiante do nariz. Acho que a polícia tinha que entrar firme e distribuir muita porrada, porque é o que eles merecem.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Bemvindo!

    A Humanidade está tonta. A inteligência faz falta em todas as atitudes da nossa vida.
    Liberdade, sim, mas com responsabilidade.
    Sou Portuguesa, e não conheço bem a realidade brasileira, mas se é aquela que mostram os meios de comunicação social, então, fico preocupada.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Acho que o caminho certo é identificar realmente quais são os vândalos e, o resto? O mar está abarrotado de peixes famintos.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que podemos lutar pelos nossos direitos com inteligência e sabedoria!
    Beijo
    www.leticiatomsik.com

    ResponderExcluir
  5. Bemvindo Sequeira, além de grande ator, é muito inteligente. Mais um texto de uma amplitude, de uma visão incrível. Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde, sem o direito à contestação não existe democracia, assim como a democracia só existe com políticos, muitas manifestações são organizadas a manipular o povo para os fazer crer que tem um objetivo popular, quando o objectivo dos organizadores são outros, a direita espreita a todo o momento, é especialista em manipular, existem muitos aprendizes de feiticeiros que vestem a capa da democracia, não passam de uns sintéticos com enorme ambição do poder que sem escrúpulos tentam derrubar um governo democraticamente eleito.
    Os ex governantes Brasileiros antes do partido dos trabalhadores eram especialistas em dar ignorância ao seu povo onde a classe media desapareceu, eles sabem quanto mais ignorância menos contestação, assim se abre as portas ás finanças especulativas que controlam as economias mundiais a favor de 1% da população mundial que domina o mundo.
    Quem vive fora do Brasil sabe que a maioria das manifestações contra o governo actual são organizadas por fascistas manipuladores.
    AG

    ResponderExcluir
  7. "Um governo que não controla a sua polícia na repressão a manifestações democráticas merece ser varrido sim, destruído, espancado, mas pelas urnas."
    Tanta coisa precisa mudar, não é?!

    Beijão,
    Blog | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
  8. Ciclicamente eles voltam... É preciso estar alerta para salvaguardar a liberdade...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Vim agradecer a visita e pedir desculpas pela minha ausência por aqui.
    Aos poucos estarei voltando a visitar os blogs que tanto gosto, como o seu.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  10. O regime democrático permite a realização dos protestos pacíficos, assim como determina que a polícia saiba agir em conformidade com cada situação. Hoje tratamos sobre Camões.

    Abraços,

    Furtado.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.