segunda-feira, 2 de março de 2015

As Relações Superficiais Com a Profissão

Nelson Rodrigues

Sei que envelheci. Mas seria igual quando eu era jovem? Ou o Mundo realmente mudou?

Falo do desespero de uma juventude seduzida pelo consumo e pelo sucesso imediato e a qualquer preço.

O desespero de que as coisas aconteçam imediatamente, independente de terem se preparado para tais ou não.

No caso da profissão de ator é uma infinitude de cabecinhas jovens desesperadas em saber como virar sucesso da noite para o dia.

E sucesso nestas cabecinhas significa carrões, mansões, fama, paparazzos, outdoors estelares... um mundo de fantasia vendido a cada minuto pela sociedade de consumo, onde as coisas acontecem como mágica.

Nem como milagres, porque até para milagres é preciso perseverar na fé.

Não! O apelo é imediatista. Fique famoso no próximo minuto. Não dá nem pra esperar um dia!

A nossa profissão de ator é diferente do show business.

Profissão pressupõe ação ou resultado de professar ('reconhecer publicamente', 'jurar') como está no Houaiss.

É um sacerdócio. Pressupões perseverança, persistência, vocação, sacrifício, estudo, observação e sobretudo humildade e paciência.

O que essa garotada seduzida deseja é ser devorada. Consumida como produto. Coisificada, não importa onde nem como.

Fico muito triste quando deparo-me com situações do tipo:

- "Como faço pra entrar pra televisão?"

Ora, é só atravessar a soleira da porta.

Entrar pra televisão é uma coisa. Ser um profissional de artes cênicas para o resto da sua vida, independente se será famoso ou não é outra coisa.

Por isso que considero até hoje o melhor conselho a jovens foi dado pelo sábio Nelson Rodrigues:

_ "Eu recomendo aos jovens: envelheçam depressa!"

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

6 comentários:

  1. Amores, tão bom retornar ao mundo da literatura...
    Linda reflexão, belíssimo texto.
    A casa está maravilhosa e eu? Com saudades imensas.

    ResponderExcluir
  2. Hj em dia as pessoas querem fama e daquelas bem rápidas.
    Uma pena pq tem tanta gente sem conteúdo que se diz famosa rs...

    Uma linda noite pra vc =)

    ResponderExcluir
  3. Um texto excelente sobre a pressa dos nossos dias. Hoje quer-se tudo de imediato. Esquecem-se que qualquer prazer é lento...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Realmente, as coisas mudaram muito com o passar do tempo. Às vezes, ao escutar certas coisas que chamam de música, penso na falta que faz o grande Flávio Cavalcanti quando quebrava os discos das composições que não lhe agradavam. Concordo com o José Messias quando afirma que muitos não passam de meteoros, simplesmente passam. Belo e bastante pertinente, o texto do Bemvindo Sequeira. Parabéns!

    Abracos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  5. Interessante o seu texto e a reflexão nele feita, Bemvindo!
    Sempre adorei atividades de palco, mas só quando era adolescente, é que realizei alguns trabalhos no meio. Depois, a faculdade, a vida continuando, me "arrastou" para outro género, não menos digno, de profissão.

    A fama se conquista, step by step, isso sim, e não tudo de uma vez só, mas agora, os jovens têm "n" celulares, têm drogas diversas para criar alucinação, enfim, têm tudo, menos talento e cérebro.

    Dias felizes.

    Abraço de Portugal.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, Clemente
    Excelente reflexão de Nelson Rodrigues, com a qual concordo inteiramente.
    Hoje vive-se demasiado rápido, e o resultado é a perda de valores sérios que nos ajudam a viver plenamente.

    Continuação de boa semana.

    Um abraço
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.