segunda-feira, 9 de março de 2015

A Mímica e a Pantomima

Marcel Marceau, o maior mímico de todos os tempos, usava também a pantomima.

Dei início à Oficina Teatral para o período 2013/2014 visando a montagem adaptada de "O Mambembe" de Arthur de Azevedo.

No primeiro dia uma aluna perguntou-me a diferença entre mímica e pantomima.

Expliquei como pude, exemplificando no momento. Depois fiquei pensando e achei que seria legal postar aqui um pouco sobre isto.

Nas artes cênicas a mímica e a pantomima aparecem com o teatro romano, atravessam pelo teatro medieval e chegam até os dias de hoje.

Mímica é movimento. Ela está presente na pintura, na música, na escultura, balé, na linguagem do surdo-mudo, na dublagem, dança, na alegria, tristeza, no ódio, no amor.

Mas quantas vezes uma pessoa está dizendo algo, e sua cara está provando justamente o contrário?

Mímica todos nós, animais, fazemos. Também na natureza os pássaros, o mar, o vento. Na vida, todo movimento é mímica. Mímica é toda a vida. Onde não há vida, não há movimento, mímica.

Mímica é também ir ao Golfo Pérsico, ao Oriente Médio, e sair vivo. Aí continuamos tenho a mímica. Se não é porque estamos mortos.

Pantomima, é saber o porquê, quais os verdadeiros motivos que levaram soldados norte-americanos ao Oriente Médio, e porque tudo aquilo está acontecendo lá.

Na próxima segunda feira postarei sobre a Pantomima.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;

3 comentários:

  1. Olá!
    Muito interessante! Acho que todo mundo faz mímica e nem sabe.
    abraços!

    ResponderExcluir

  2. Excelente este post.
    Fiquei curiosa quanto à designação de Pantomina.
    Voltarei para saber mais.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir

  3. Excelente este post.
    Fiquei curiosa quanto à designação de Pantomina.
    Voltarei para saber mais.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.