segunda-feira, 17 de novembro de 2014

“TEJE PRESO!”

Eu e Reynaldo Gonzaga, os "perigosos assaltantes"

O ano era 1970.

O “Presidente/Ditador de Plantão” era o General Médici.

Estávamos - Reynaldo Gonzaga e eu - em tournée teatral pelo Brasil com “O Assalto”, um excelente texto do José Vicente, com direção do Fauzi Arap.

Naquele tempo não havia DDD, que dirá email... as mensagens urgentes eram enviadas por telegramas.

Havíamos nos apresentado em Aracaju, e antes do Recife íamos nos apresentar em Natal, no Rio Grande do Norte.

1970 era a época da Luta Armada contra a Ditadura – há os que como no Chile prefiram o eufemismo “Regime Militar” (risos).

Era a época das "expropriações": assaltos a bancos para angariar fundos para a luta armada...entre outras ações.

Neste cenário o nosso empresário, um ingênuo em política, envia um telegrama ao produtor local em Natal nos seguinte termos:

-“Assalto em Natal dia 15. Chegaremos Rodoviária 18h procedentes Aracaju.”

Não deu outra: desembarcamos em Natal, equipe técnica e atores , já com a Polícia Política nos esperando.

Não sabia a "Gestapo Potiguar" quem eram os perigosos “terroristas”, mas quando “Maurício Gaguinho”, o nosso operador de luz, retirou do bagageiro do ônibus aquelas armas estranhas (refletores e “canhão”pretos) recebeu voz de prisão na hora, ouvindo a conhecida frase :

-“Teje preso!!!!”

Todos detidos durante horas até desfazer a confusão do telegrama. (risos tragicômicos)

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaborou: Bemvindo Sequeira e entretenimento.r7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.