segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Dramaturgia: Mudaram os Heróis ou Mudou o Mundo?


Irene Ravache, grande colega, diz em entrevista: " Antes as protagonistas eram heroínas, bons exemplos. Hoje enfiam o pé na jaca, sinto falta de algo mostrando que vale a pena ser honesto. Eu e minha filha temos um caso com o mesmo homem e tudo termina bem. Não termina, é horrível se acontece."

Com o filme "Casablanca", na década de 1940, o público norte americano cansou-se dos moralistas personagens de James Cagney e o trocou pelo personagem mau caráter, amoral, e apátrida de Humphrey Bogart. Isto foi há 70 anos atrás, o que permite revelar que o fenômeno não surge agora, nesta época de Black Blocks.

Nos EEUU é muito comum existir fãs clubes para prisioneiros condenados à morte que cometeram terríveis e hediondos crimes.

Quando fiz "Mandacaru" - a novela - o meu vilão, Zebedeu, era o personagem mais querido da história.

Li que a atriz que fez Skyler White (Anna Gunn), esposa de Walter White (Bryan Cranston) em "Breaking Bad" foi ameaçada até de morte na vida real porque é honesta. Todos torcem pelo marido dela, traficante, fabricante de drogas.

Nas favelas do Rio os bandidos parecem ser muito mais reconhecidos como poder pela maioria dos moradores que a Lei e a Ordem. Que o Estado.

Li que a família do pedreiro Amarildo, desaparecido desde que foi levado pela polícia na Rocinha, vive trancada em casa com mais 17 pessoas com medo da Polícia.

O que será isto? Será sintoma de que nosso inconsciente reconhece que o Estado, o Sistema é tão podre, tão repressor, tão malévolo que diante disso os vilões tornam-se os heróis?

Que a ambiguidade do Poder leva as pessoas a achar que a honestidade e o bom caráter é coisa inventada pelos poderosos para manter a massa "boazinha", servil e obediente?

Ou o Coisa Ruim realmente tomou conta do Mundo?

Por que esta identificação com o Mal?

Com a palavra os sociólogos, psicólogos, etc. etc.... Eu apenas registro aqui o fenômeno e faço as indagações.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaborou: Bemvindo Sequeira e entretenimento.r7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.