segunda-feira, 4 de março de 2013

O PREÇO DA ARTE


Quando colocamos o ponto final em uma obra artística, lançamos ao mundo o que pensamos, o que sentimos e o que vemos do mundo em que vivemos e nossa arte capturará aqueles que por ela se identificarem. Nosso valor artístico estará ali, em nosso texto, em nossa música, em nossa tela, mas como mensurar o valor do direito patrimonial em uma obra artística? Quanto vale a emoção que proporcionamos a alguém?

O pouco ou muito em uma obra artística é de fato subjetivo, pois para mim ela pode ter um valor inestimável, mas para outrem, ser apenas uma arte pífia, digna de desprezo. É realmente complicado, pois arte é uma expressão do ser humano que se propõe comover, encantar, fascinar, mas o objeto desta arte ganha forma e este material produzido tem o seu preço, caro ou barato, como saber o preço da arte?

Vender um livro, um CD, autorizar a cessão de um texto, isso até que não é difícil de se calcular, pois simples operações matemáticas nos mostrarão os custos desta produção artística e nos ajudarão a mensurar o valor dos direitos autorais que remunerarão a nossa arte, mas e o valor do patrimônio da obra que produzimos, como fica? Sim, pois a obra artística se constitui em nosso direito irrefutável e em um bem patrimonial.

Eu tenho uma dificuldade muito grande em calcular números que estipulem o valor real da minha arte. Quanto você pagaria por ela se eu as colocasse a venda? E a sua arte, por quanto você me venderia? É estranho tratar o resultado final de uma arte, como fossem paredes de tijolos que sustentam uma casa, ou peças de metais transformadas em automóvel, não é mesmo? Só que nossas obras artísticas são nossos bens e poderemos quer vendê-las, e por quanto?

Talvez o preço justo e certo da nossa arte seja estipulado pela lei da oferta e da procura, por certo não será levado em conta o valor artístico do que produzimos, mas sim o quanto nossa arte valerá comercialmente, mas acho que quanto maior o nosso valor artístico, maior a remuneração do nosso direito patrimonial. Um bem de um artista reconhecido valerá muito mais do que o de alguém que está apenas começando.

Portanto, podemos concluir que o preço da arte, passa pela soma do valor artístico do autor, mais o reconhecimento do público pela sua arte, somado ainda, a grandiosidade de sua obra, quanto maior for á soma desta operação, maior será o valor do direito patrimonial produzido pelo artista. Cada artista sabe o quanto a sua obra vale, só é preciso tratar de torná-la cada vez mais valorizada. O que hoje vale nada, amanhã poderá valer milhão, ou não!

Escrito por Paulo Sacaldassy

Colaborou: Poucas Palavras de Paulo Sacaldassy; Foto: Espetáculo "Um Verão Familiar"

Um comentário:

  1. Olá. Acho que jamais se pode colocar um ponto final em uma obra artística, pois ela só começa realmente quando a terminamos.

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.