sábado, 29 de setembro de 2012

PALAVRÕES NO TEATRO


Muito se repercute sobre os "palavrões" nas peças e no mundo teatral. Essa grande polêmica vem ao longo dos anos repercutindo e dividindo aqueles quem amam a arte do teatro.

Em destaque nos Stand Up Comedy, os palavrões tem sido constantes nas mais variadas peças de teatro e até mesmo em sua concentração, bastidores e preparação. Segundo dizem por aí, o palavrão está associado e tem uma ligação direta com toda a história do teatro, com situações inusitadas que aconteceram com primórdios.

E você? O que pensa sobre isso?

Você Gosta de Palavrões nas Peças de Teatro?

Vote na enquete, que esta na coluna ao lado e deixe os seus comentários! A sua decisão é muito importante!

Foto: Hellen Suque em "Salto em Fúria"

9 comentários:

  1. Olá Amigos!
    Gosto muito de arte e cultura, gosto de saber sobre a história das obras etc.
    Já dei minha opinião na enquete de vocês e quero parabenizá-los pelo blog que está excelente.
    É elogio de amiga, mas vale tá!rsrs
    Um grande abraço,
    Lú Paes(Lucyanpaes)

    ResponderExcluir
  2. Olá meus amigos, sei que às vezes o palavrão tem até um significado dentro de um texto, mas o que está havendo é a falta de discernimento no uso dos mesmo e até mesmo no contexto, fala-se palavrão por falar e isso quando se está acompanhado é constrangedor, ou quando se encontra esse vocabulário em uma peça infanto-juvenil aí é o caos. Lembrei de uma montagem, me recuso a chamar aquilo de espetáculo e peça teatral, que a cada frase havia um palavrão de baixo calão, onde FDP era suave, e dentre os atores haviam quatro menores atuando, era para se ter uma idéia apresentação de encerramento de curso e ainda caro por sinal. meu voto é que sou contra!

    ResponderExcluir
  3. Oi, também já participei da sua enquete!
    Bom o seu blog, gostei!
    Agora que achei, venho visitar rsrsrs
    Beijão
    Fernanda Fênix

    ResponderExcluir
  4. Boa Madrugada e Salve a galera do teatro,
    bem acabei de votar na enquete
    um tanto complexo me imaginar contra ou a favor dos palavrões, mas resolvi analisar por varias vertentes.
    O teatro como arte por si só refere-se a uma representação, se os palavrões se fazem necessários em personagens/texto de um espetáculo não vejo o porque de não existi-los. O que nao se deve a meu modo de ver como diretor,ator e historiador da arte é não tornar disso tudo algo banal, querer fazer com que palavrões sejam ditos aos quatro cantos dentro da caixa cenica ao ponto de usar inclusive "no teatro se pode tudo porque representa a vida"
    A verdade é que muitos artistas infelizmente se "prostituem" fazem do teatro seu comercio pessoal, se vendem. Levando ao publico qualquer lixo (Claro, nao me refiro a todos, ate porque isso seria incoerente)
    A pouco tempo atras o mais discutido no meio teatral e ate fora dele era a nudez, que antes servia pra chocar e hoje serve pra banalizar o teatro e voltar a ideia de que o teatro foi um cabaré, sou a favor da nudez quando ela se faz necessária e da forma como é exporta. Assim como sou a favor dos palavroes quando se fazem necessários!!!
    A ARTE nao foi "feita" pra isso, existe inumeras maneiras de se "atingir" o publico.
    Vamos fazer ARTE!!!....sem mais

    ResponderExcluir
  5. olá tudo bem? não gosto nem de palavrões e nem de cenas pesadas, acho que não tem nada haver com a arte!bjsssssss

    ResponderExcluir
  6. Não é necessário usar de palavrões para enfatizar alguma cena. Para mim, é falta de classe e constrangedor. Afinal, não há palavrões em obras de Shakespeare.

    ResponderExcluir
  7. Oi, boa tarde!

    Votei na enquete, mas, há controvérsia em aceitar palavrões ou não. Imagina uma peça de rir, para adultos, sem falar um palavrão sequer?

    Acho eu, que desde que não ofenda ninguém com palavras chulas, os palavrões leve, apimenta e anima certas peças teatrais e damos boas gargalhadas.

    Até mesmo na dramaturgia televisiva estão usando palavrões, imagina no teatro!?!

    Bom, valeu a enquete, achei muito legal e obrigada pelo convite.

    Abraços,

    Marize Camara

    ResponderExcluir
  8. Depende do contexto, claro. Tudo bem dosado, com humor e conteúdo reflexivo, por que, não? O que não pode é a banalização: falar como se fosse algo "inovador" ou "revolucionário", mas sem o menor sentido. Ofender grupos, pessoas, essas coisas, não. Se não concordamos com algo na sociedade não devemos expor as pessoas ao ridículo apontando-lhes o dedo. Entretanto, há muitos meios de se evidenciar esse mesmo ridículo sem causar tanto mal-estar. Abraços... de Encantada!

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.