sábado, 26 de junho de 2010

CAMPANHA SOS NORDESTE


Os estados de Alagoas e Pernambuco foram atingidos por chuvas violentas que fizeram vítimas e deixaram milhares de desabrigados. A situação nestes dois estados é muito grave! Em Alagoas são 26 cidades atingidas, sendo que destas, 15 municípios estão em situação de calamidade pública; Já em Pernambuco a quantidade cidades atingidas é ainda maior. São 54 municípios afetados pela chuva. Destes, 30 estão em situação de emergência e 9 decretaram situação de calamidade pública.

Sensibilizados pela situação da população do nordeste, a Cia. De Teatro Atemporal, o Instituto Ressoar e a Rede Record convidam os brasileiros a ajudar as vítimas do Nordeste. Com abrangência nacional, a campanha vai arrecadar doações em dinheiro para auxiliar as vítimas desta grande catástrofe a readquirir a dignidade.

As doações de qualquer quantia podem ser feitas diretamente nas agências do Banco Bradesco ou nos caixas automáticos pela conta:

Banco Bradesco
agência 922-9
conta corrente 5500-0

Abaixo estão os dados do Instituto Ressoar, no caso de quem quiser fazer o depósito via DOC:

Instituto Record de Responsabilidade Social
CNPJ: 07.669.797/0001-63

Quem vive no exterior pode fazer transferências eletrônicas até mil reais (R$ 1.000,00). Para outras formas de depósito você deve levar os dados da conta mais o código Swift do Bradesco no exterior:

Banco Bradesco - 237
Agência: 0922-9
c/c: 5500-0
Instituto Record de Responsabilidade Social
CNPJ: 07.669.797/0001-63
código swift: BBDEBRSPSPO

Para quantias maiores é preciso procurar o seu agente financeiro no exterior para se informar sobre os procedimentos corretos.

Além disso, a campanha vai incentivar a doação de colchonetes, roupas de cama e banho, material de higiene, fraldas, alimentos não perecíveis, leite em pó e água mineral. como medidas emergenciais de atendimento à população.

No momento, o que as pessoas mais precisam é de água mineral, leite em pó, alimentos prontos, colchonetes e cobertores, fraldas, material de higiene pessoal, produtos de limpeza, roupas e sapatos.

A Defesa Civil pode orintá-lo como encaminhar as doações. Para saber mais sobre as unidades de Defesa Civil do seu estado acesse o site www.defesacivil.gov.br

Veja a baixo alguns locais em Alagoas e Pernambuco que estão recebendo doações:

Alagoas, Capital

Tabuleiro dos Martins
1º Grupamento de Bombeiros Militar (1º GBM)
Rodovia 316, Km 14, próximo a Policia Rodoviária Federal
(82) 3315-2900 / 3315-2905

Grupamento de Socorros de Emergência (GSE)
Conjunto Senador Rui Palmeira, S/N
(82) 3315-2400

Pajuçara
Subgrupamento Independente Ambiental (SGIA)
Av. Dr. Antônio Gouveia, S/A, próximo ao Iate Clube Pajuçara
(82) 3315-9852

Trapiche da Barra
Quartel do Comando Geral (QCG)
Av. Siqueira Campos, S/N, próximo a Pecuária
(82) 3315-2830

Defesa Civil Estadual (CEDEC)
Rua Lanevere Machado n.º 80, próximo a Pecuária
(82) 3315-2822 / 3315-2843

Pontal
Grupamento de Salvamento Aquático (GSA)
Av. Assis Chateaubriand, S/N, próximo a Braskem
(82) 3315-2845

Alagoas, Interior

Maragogi
2º Grupamento de Bombeiros Militar
(82) 3296-2026 / 3296-2270

Penedo
6º Grupamento de Bombeiros Militar
(82) 3551-7622 / (82) 3551-5358

Arapiraca e Palmeira dos Índios
7º Grupamento de Bombeiros Militar
(82) 3522-2377, (82) 34212695

Santana do Ipanema e Delmiro Gouveia 9° Grupamento de Bombeiros Militar (82) 3621-1491 / (82) 3621-1223

Pernambuco, Capital

Instituto de Assistência Social e Cidadania do Recife (IASC)
Rua Imperial, 202, no bairro de São José

Quadra Poliesportiva, bairro Derby
Recebendo doações das 9h às 17h
(81) 3412-1311

Quartel Central do Corpo de Bombeiros
Avenida João de Barros 399, bairro Boa Vista.
(81) 3182-9154

Prefeitura do Recife
Av. Cais do Apolo, 925, Bairro do Recife

Pernambuco, Interior

Cabo de Santo Agostinho
Centros de referência em Assistência Social (Cras)
em Ponte dos Carvalhos e do Cabo

Secretaria Municipal de Programas Sociais e da Mulher
Recolhimento pode ser requisitado pelos telefones:
(81) 3521-6759 / (81) 3521-6718

Ipojuca
Secretaria de Ação Social do Ipojuca
Sede: Rua João Pessoa, s/n - Ipojuca
(81) 8830-5007 e 3551-1114

Gravatá
Secretaria de Ação Social e Praça da Matriz
Rua Francisco Bezerra de Carvalho, Centro
(81) 3563-9057 / 3563-9037

Palmares
A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS-PE)
Rua Amaro Bezerra nº 489 – Derby
(81) 3423-0604 / 3423-9907
Recebendo doações das 8h às 12h e das 13h às 17h

sexta-feira, 25 de junho de 2010

PROGRAMA ATEMPORAL


Até domingo, dia 27 de junho de 2010, o Teatro Fashion Mall apresenta Caderno de Memórias, com texto de Jean Claude Carrière e direção de Moacyr Góes. A peça, protagonizada por Dira Paes e Otto Jr., retrata o encontro de um inusitado casal e suas dificuldades de se entregar ao amor, sem abandonar a solidão que os constitui.

São pessoas completamente diferentes que se veem atraídas pelo seu avesso e travam uma batalha para ficarem juntos. O que se coloca para eles é como conseguir o objeto do seu desejo sem ao mesmo tempo aniquilá-lo.


Ficha Técnica

Espetáculo: Caderno de Memórias
Elenco: Dira Paes, Otto Jr.
Direção: Moacyr Góes
Assistente de direção e Preparação Corporal: Leon Góes
Autor: Jean Claude Carrière
Tradução: Alexandre Heineke
Cenários: Helio Eichbauer
Figurinos: Luciana Buarque
Iluminação: Adriana Ortiz
Trilha Sonora: Marcos Ribas
Projeto Gráfico: Cubículo - Fabio Arruda e Rodrigo Bleque
Produção Executiva: Marco Aurélio Monteiro
Direção de Produção: Ecila Mutzenbecher
Foto: Renata Dillon

Serviço

Temporada: Até domingo, dia 27 de junho de 2010
Horário(s): Sexta e sábado, ás 21h30; Domingo, ás 20:00hs.
Local: Teatro Fashion Mall
Endereço: Estrada da Gávea, 899 loja 213, São Conrado - Zona Sul - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 3322-2495
Ingresso(s): R$ 70,00 (sexta e domingo); R$ 80,00 (sábado)



Um engarrafamento em um túnel, situação corriqueira, se transforma em um verdadeiro absurdo quando os anos passam e os personagens permanecem ali enclausurados. Essa é a trama do espetáculo O Túnel, em cartaz no Teatro do Sesc Tijuca até 11 de julho.

A ideia da peça partiu do drama homônimo de 1968 do célebre dramaturgo Dias Gomes, escrito a pedido do diretor José Celso Martinez, mas condenado pela censura. Depois de todos esses anos, o texto é encenado pela primeira vez pela Cia. Teatro Epigenia.

Com direção de Gustavo Paso, o elenco é formado por Gustavo Falcão, Luciana Fávero, Pedro Pires, Rafael D´Avila, Juliana Feres e Vinicius Cattani. O engarrafamento contínuo que envolve os personagens provoca a revelação de manias, angústias, revoltas e sonhos, escondendo uma verdade surpreendente, revelada no final.

Serviço

Espetáculo: O Túnel
Temporada: Até 11 de julho de 2010
Horário(s): Sexta, sábado e domingo, ás 19:00hs
Local: Sesc Tijuca
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 3238-2100 / 3238-2072
Ingresso(s): R$ 16,00



Procurada por um príncipe que vive em sua imaginação, a pequena Sofia descobre que só ela pode ajudá-lo a salvar o mundo da fantasia das garras do terrível Ladrão de Sonhos. Para isso, ela usa um portal, que fica embaixo de sua cama, para ir ao universo que só existe na mente das crianças.

O espetáculo Sofia Embaixo da Cama é um trabalho da companhia Trupe do Experimento, que em 2007 montou a adaptação do clássico Sonho de Uma Noite de Verão. A peça, que fica até 27 de junho no Sesc Tijuca, foi escrita por Marina Monteiro, assistente de direção do grupo.

Serviço

Espetáculo: Sofia Embaixo da Cama
Temporada: Até 27 de junho de 2010
Horário(s): Sábado e domingo, ás 17:00hs
Local: Sesc Tijuca
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 3238-2100 / 3238-2072
Ingresso(s): R$ 12,00



PASSEIOS


Escadaria Selarón

Em 1990, o artista plástico Jorge Selarón começou a revestir a escadaria que leva ao convento de Santa Teresa com um mosaico de ladrilhos de cerâmica nas cores verde, amarela, azul e branca. São 215 degraus ao longo de 125 metros, cobertos pelo chileno às custas do dinheiro de seu próprio bolso, o qual arrecadava através da venda de quadros.

A escadaria rendeu a Selarón o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro em maio de 2005. Ao longo dos anos, seu trabalho foi visitado por milhões de pessoas, servindo, também, de palco para videoclipes, campanhas publicitárias e até cenário para uma edição da Playboy norte-americana. Segundo o artista, sua obra é "um tributo meu para o povo do Brasil".

Passeio: Escadaria Selarón
Endereço: Rua Joaquim Silva, s/nº - Lapa - Centro - Rio de Janeiro/RJ



Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana

Construído em 1914, com o objetivo de reforçar a defesa da Baía de Guanabara, o Forte de Copacabana foi palco de uma das rebeliões que fizeram parte do Movimento Tenentista de 1922. Em 1987, a fortificação foi desarmada e se tornou sede do Museu Histórico do Exército, que exibe armas, objetos e painéis que representam as conquistas militares do país.

A visita inclui exposições, exibições de vídeo, maquetes e um setor interativo. Além de observar os canhões alemães Krupp, fabricados no início do século XX e montados na casamata à beira mar, o visitante pode ter uma bela visão panorâmica do local.

Passeio: Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana
Endereço: Praça Coronel Eugênio Franco, s/n - Posto 6 - Copacabana - Zona Sul - Rio de Janeiro/RJ
Funcionamento: De Terça a domingo, 10h às 17h.
Estacionamento: Possui
Telefone(s): (0**21) 2521-1032
Ingresso(s): R$ 4,00

segunda-feira, 21 de junho de 2010

FUTEBOL EM CENA - UM ESPETÁCULO TEATRAL


Alguém já reparou o quão o futebol e o teatro têm coisas em comum? O futebol é uma arte espetacular onde os jogadores atuam como se estivessem num grande palco. A direção fica a cargo do treinador que supervisiona e dirige à montagem do elenco. Para preparar o espetáculo existem os treinos em que o técnico faz os ensaios com alguns quesitos importantíssimos tais como: a alteração de algumas posições, testes e correções de alguns atores entre outras. Tudo isso para que tudo saia com exatidão na estréia.

Chegado o grande dia quando todos os refletores estão acesos e as cortinas se abrem (ops! desculpem) os portões se abrem e o tablado todo armado, agora está tudo pronto para começar o show. A grande torcida é o público que encara a peça com ânsia e temor, pois não se sabe o script do jogo, daí chega um ponto de difusão, pois nem mesmo atores, diretores e público conhecem o enredo e principalmente o desfecho, uma das qualidades excepcionais do futebol, visto que a história é escrita conforme o decorrer da partida.

Quando os craques da bola entram em cena a emoção começa, os ânimos se alteram e se dividem os papéis, os protagonistas e antagonistas, certo de que cada torcida tem seus vilões e mocinhos. O personagem que comanda o roteiro é o juiz, uma vez que ele é quem lidera as cenas (as jogadas) e qualquer encenação fora do cenário futebolístico, podendo acarretar em expulsões ou advertências. O futebol, muitas vezes, causa uma dualidade de emoções. Ora se confunde com a comédia dell´art contendo algazarras, gritos de torcidas, outrora como um drama shakespereano capaz de causar medos e instâncias, conforme já dizia Nelson Rodrigues: “A mais sórdida pelada é de uma complexidade shaskespereana”. Essa nuance se mistura sob a influência direta da platéia, que opina e xinga atos que não ocorrem no círculo teatral. O gol é o principal momento de êxtase do público, onde no teatro seria o ápice da cena, ocasião crucial de aprovação da torcida e que logo o transforma em aplausos. Porém se o resultado não agradar, a crítica é ferrenha e cruel que pode advir em demissões e/ou substituições de atores, fatores estes que contribuem para melhoria do próximo espetáculo. Este novo espetáculo com alterações é sempre um novo show, pois a história se reescreve novamente.

Com isso não quero afirmar que o futebol e o teatro são idênticos, mas que se identificam. Porque ninguém vê um jogo de futebol parado, pois assim não teria graça, esta é a maior qualidade desta arte. Porém não podemos esquecer que o teatro é um jogo, um jogo de persuasão, um jogo de atores, ele amplia a visão e os instrumentos de quem o “joga”. Por fim, finalizo com uma frase de Daniel Piza (colunista do Estado de São Paulo) “o futebol tem teatro, mas não é teatro”.

Escrito por Diego Albuck 

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: Espetáculo "Chapetuba F.C." (2009)

sexta-feira, 18 de junho de 2010

PROGRAMA ATEMPORAL


Em uma metróple, um mendigo acompanhado por um fiel escudeiro, entra em esado de surto e delírio, interagindo com a realidade a sua volta e refletindo a própria miséria e abandono através das falas dos principais personagens da obra de William Shakespeare.

AS JORNADAS DE UM GRUPO

A Trilogia - Jornadas pretende discutir a função social do trágico e do lúdico enquanto características formadoras do teatro ocidental, como eles sobrevivem, se inserem, se modernizam em uma sociedade fortemente globalizada, onde os valores regionais e específicos de cada cultura são diluídos e abafados a cada dia. Utiliza o teatro como instrumento consciente de reflexão e perpetuação de nossa cultura, tanto como brasileiros quanto como latino-americanos e seres humanos inseridos em um contexto social politizado.

Pautada na direção artística de Jiddu Saldanha, iniciou-se em 2008 com a esqute O Cão Sem Plumas. No mesmo ano criamos o espetáculo Jornada Shakespeare - Terror, Miséria e Paixão na Obra de William Shakespeare. O texto é uma organização de trechos de "Rei Lear", "A tragédia de Ricardo III", "Hamlet" e "A tempestade" feita por Jiddu Saldanha e Bruno Peixoto. Jornada de Paz Tempo de Guerra, montado em 2009, é a última parte dessa trilogia.

Ficha Técnica

Espetáculo: Jornada Shakespeare - Terror, Miséria e Paixão
Elenco: Bárbara Morais e Bruno Peixoto
Direção: Jiddu Saldanha
Pesquisa de Textos: Bruno Peixoto e Jiddu Saldanha
Dramatugo: José Facury
Iluminação: Quatro por Quatro
Operação de Luz: Nina Rodrigues
Operação de Som: Julia Faria e Tatianna Rivero
Figurinos, Cenografia e Trilha Sonora: Jiddu Saldanha
Fotografias: André Amaral
Maquiagem: Bárbara Morais
Produção: Bruno Peixoto

Serviço

Temporada: Exclusivamente neste sábado, dia 19 de junho de 2010
Horário(s): 20:00hs
Local: Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
Endereço: Rua Monte Alegre, 306, Santa Teresa - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2224-3331
Ingresso(s): ENTRADA GRATUITA



Também baseado em uma obra de Willian Shakespeare, Trabalhos de Amor Perdidos é uma comédia romântica com muita confusão e um texto recheado de diálogos inteligentes.

Na história, o rei de Navarra e três lordes decidem fazer três anos de jejum, abstinência sexual e muito estudo para aprimorar o espírito e o conhecimento, mas se arrependem quando uma princesa e suas três damas chegam ao castelo. Para complicar ainda mais a história, cartas escritas são entregues a destinatários errados e é programado um baile de máscaras.

O jogo da conquista entre homens e mulheres é o que guia este espetáculo, com direção de Diogo Villa Maior e adaptação e direção da Cia. Teatral Pilhéria Fina.

Serviço

Temporada: Dia 18 e dia 25 de junho de 2010
Horário(s): 19:00hs
Local: Teatro Ipanema
Endereço: Rua Prudente de Moraes, 824, Ipanema - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2523-9794
Ingresso(s): R$ 30,00 (na hora); R$ 15,00 (antecipado)



Quando ainda é um pequeno filhote, Simba aprende a se familiarizar com os perigos da selva, sempre contando com a ajuda de seu pai, Mufasa. À medida em que vai crescendo, ele percebe como os ensinamentos foram essenciais para sua transformação em O Rei Leão.

A peça conta a história que fez sucesso nas telas de cinema nos anos 90. A temporada foi prorrogada até o dia 27 de junho e as apresentações acontecem aos fins de semana no Teatro Vannucci. O espetáculo tem direção de Roberto Resende e, é protagonizado por Renato Calvet e Roberta de Sá Britto.

Serviço

Temporada: Até 27 de junho de 2010
Horário(s): Sábado e domingo, ás 17:00hs.
Local: Teatro Vannucci
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52 3° Piso - Shopping da Gávea - Gávea - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2239-8595 / (0**21) 2274-7246
Ingresso(s): R$ 40,00
Foto: Nina Reis


PASSEIOS


Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Criado em 1808 por D. João VI para aclimatar as mudas de espécies que vinham da Europa, o Jardim Botânico tem mais de 8.000 tipos de plantas e flores do Brasil e de outras partes do mundo. O parque possui uma área total de 137 alqueires (54 deles de área cultivada) e promove estudos de vegetais das diversas regiões do país. Desenvolve projetos específicos para subsidiar a conservação e o manejo do meio ambiente.

Dentro do parque há dois museus: o Botânico, que possui um grande acervo de documentos sobre o assunto, e a Casa dos Pilões, antiga fábrica de pólvora que exibe escavações arqueológicas. Outras atrações são as estufas, o orquidário e o bromeliário. Tem lanchonete, biblioteca e loja. Para as crianças, o ponto mais concorrido é o parquinho, com brinquedos como escorregador e balanços, além de tanque de areia, labirinto, quiosque e área de piquenique.

Passeio: Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008 - Jardim Botânico - Zona Sul - Rio de Janeiro/RJ
Funcionamento: Diariamente, das 8h às 17h.
Telefone(s): (0**21) 3874-1808
Ingresso(s): R$ 5,00.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

CHORANDO OPORTUNIDADES


Nos diversos fóruns de discussões e nos sites de relacionamentos em que participo, não é raro topar com tópicos de pessoas clamando por uma oportunidade de mostrarem os seus talentos para a escrita. Confesso que por várias vezes também clamei pela minha e escrevi alguns artigos, pedindo uma maior abertura para o novo, mas cheguei a conclusão que isso não passa de choro.

Só tem uma coisa que abre as portas para as oportunidades: o trabalho. Por mais que se peça uma chance para mostrar o quanto se é capaz, nada vai adiantar, pois o que leva alguém à algum lugar, não é o choro. Ninguém aposta em suposições, por mais talento que se tenha. Há um caminho longo a ser percorrido e um currículo à ser preenchido.

O maior problema que vejo é que muitos querem chegar ao topo usando o elevador ao invés de ir pela escada, subindo de degrau em degrau. Faço aqui a minha culpa, pois também já tive essa pressa, E não é bobagem afirmar que o melhor é a caminhada, pois é no caminho que se descobre o quanto se tem a aprender e percebe-se que tudo é mais difícil quanto se pensava.

Mudei o foco das minhas expectativas e deixei de chorar por oportunidades, passei a me concentrar em construir uma obra que valesse a pena, ou que no mínimo, causasse em alguém, o interesse em conhecê-la. Comecei aí abrir as portas para quem sabe um dia, ter minha grande oportunidade de mostrar a minha Dramaturgia à um grande número de pessoas.

Sei que ainda estou engatinhando e tenho muito a aprender, não só em termos de dramaturgia, mas em experiência de vida, mesmo. Mas, por hora, sigo firme trabalhando, divulgando a minha dramaturgia, contando com a oportunidade de outros tantos, que assim como eu, ainda estão trabalhando para alcançar os seus apogeus.

Com isso, parei de viver de sonhos e passei a ter uma realidade sólida, fincada na certeza de que meu trabalho encontrará a oportunidade que almejo. Hoje já tenho algo a mostrar, se é bom ou não, só o tempo vai dizer, mas por enquanto, tenho conseguido levar os meus textos a várias cidades, enriquecendo o meu currículo e fortalecendo o meu nome, o que vem me deixando bem satisfeito.

Quando deixei de chorar por oportunidades, enxerguei quantas oportunidades já tinham passado por mim e, que se não fosse o meu trabalho, construindo ali, silenciosamente, eu as tinha deixado passar e jamais teria visto meus textos sendo apresentados pelo país afora.

Escrito por Paulo Sacaldassy 

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: Espetáculo "Espía a Una Mujer Que Se Mata" (2007)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

PROGRAMA ATEMPORAL


Três esquetes teatrais dirigidas por Jiddu Saldanha em parceria com os Grupo Bicho de Porco e Teatro Trupiniquim a partir de grandes obras da literatura brasileira. Marcando a reestréia do Grupo Bicho de Porco no Rio de Janeiro com todo o seu repertório recente e a parceria com o Teatro Trupiniquim.

Temporada: Exclusivamente neste sábado, dia 12 de junho de 2010
Horário(s): 20:00hs
Local: Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
Endereço: Rua Monte Alegre, 306, Santa Teresa - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2224-3331
Ingresso(s): ENTRADA GRATUITA. Senhas distribuídas uma hora antes do evento.

Confira Detalhes das Esquetes que Serão Apresentadas:


"O CÃO SEM PLUMAS"
de João Cabral de Melo Neto


Através da mímica moderna, a cena traz um olhar revitalizado ao estranho mundo imagético e sonoro de João Cabral de Melo Neto, tendo como base uma de suas obras mais conhecidas. O Cão Sem Plumas foi o primeiro trabalho do Grupo Bicho de Porco sob a direção artística de Jiddu Saldanha. Essa apresentação marca a estréia de Bárbara Morais no papel que também é defendido por Bruno Peixoto.

Ficha Técnica

Esquete: O Cão Sem Plumas
Elenco – Bárbara Morais
Encenação – Jiddu Saldanha
Iluminação, Sonoplastia e Equipe Técnica – Quatro por Quatro
Produção e Programação Visual – Bruno Peixoto
Realização – Grupo Bicho de Porco
Parcerias – Atelier D`Aroreira e Projeto Cinema Possível
Duração: 17 min
Classificação: Livre
Fotografias – André Amaral


"RESIDÊNCIA NO REDEMOINHO"


Perambulando pelas terras do Brasil, Conceição já encontrou de tudo. E cada vez mais ela se sente impelida a caminhar, a viajar, para conhecer e questionar. Só o ímpeto de partida que a acompanha desde a juventude, sua fé tamanha da qual duvida a todo momento e seu atinado e insensato gosto por filosofias são que vão guiando essa mulher pelas distâncias que seus olhos e seus ouvidos não deixam escapar nenhum detalhe. Realizado a partir de trechos de Grande Sertão: Veredas e O Apocalipse de João.


Ficha Técnica

Esquete: Residência no Redemoinho
Elenco: Karol Schittini
Encenação: Jiddu Saldanha
Texto: Guimarães Rosa e Huguera Rodrigues
Assistência de Direção: Bruno Peixoto
Preparação Vocal: Carlos Gracie
Realização: Teatro Trupiniquim
Duração: 12 minutos
Classificação: Livre


"JORNADA DE PAZ TEMPO DE GUERRA"


Três soldados, perdidos num campo de batalha de um lugar muito distante encontram-se por acaso numa clareira e ali, esquecem as trincheiras e se entregam ao universo lúdico, lírico e bacante da poesia como arma de resgate da própria humanidade perdida. Realizado a partir do poema Canto ao Homem do Povo.



Ficha Técnica

Esquete: Jornada de Paz Tempo de Guerra
Elenco: Bárbara Morais, Bruno Peixoto e Louise Marrie
Encenação: Jiddu Saldanha
Texto: Carlos Drummond de Andrade
Consultor Dramático: José Facury
Coordenação de Pesquisas: Bárbara Morais
Iluminação, Sonoplastia e Equipe Técnica: Quatro por Quatro
Produção e Programação Visual: Bruno Peixoto
Supervisão Corporal: Tatiana Prota
Realização: Grupo Bicho de Porco
Parcerias: Atelier D`Aroreira e Projeto Cinema Possível
Duração: 15 min
Classificação: Livre
Fotografias: André Amaral


PASSEIOS


Feira de São Cristóvão

Com o objetivo de preservar a cultura nordestina na cidade, a Prefeitura do Rio reformou o Pavilhão de São Cristóvão, onde, desde 2003, funciona o Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, que por sua vez abriga a tradicional Feira de São Cristóvão.

São cerca de 700 barracas fixas que oferecem as várias modalidades da cultura nordestina: culinária típica, artesanato, trios e bandas de forró, dança, cantores, poetas populares, repentes e literatura de cordel, que atraem cerca de 450 mil visitantes por mês, entre turistas e cidadãos cariocas.


Com entrada gratuita, o local oferece boa infraestrutura, com pista de dança, palcos para shows, restaurantes de culinária nordestina, lojas de venda de artesanato, banheiros públicos e estacionamento.

Passeio: Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas (Feira de São Cristóvão)
Endereço: Campo de São Cristóvão S/Nº - Pavilhão de São Cristóvão - Zona Norte - Rio de Janeiro/RJ
Funcionamento: De terça a quinta, 10h às 16h; 10h de sexta até 20h de domingo (ininterrupto)
Telefone(s): (0**21) 3734-7376
Ingresso(s): Grátis



Arcos da Lapa

O antigo Aqueduto da Carioca é a mais monumental obra empreendida no Brasil durante o período colonial. Construído para distribuir à população as águas das nascentes do Rio Carioca, hoje ele serve de viaduto para uma outra grande atração: os bondes que ligam a Estação da Carioca ao bairro de Santa Teresa.

Símbolo da Lapa, bairro que já serviu de referência para o que de mais importante aconteceu na vida noturna do Rio, os Arcos da Lapa têm 270 metros de extensão. A construção em estilo romano e possui 42 arcos duplos de alvenaria, construídos por índios e escravos no século XVIII.

Passeio: Arcos da Lapa
Endereço: Praça Cardeal Câmara, s/nº Largo da Lapa
Lapa - Centro - Rio de Janeiro/RJ

segunda-feira, 7 de junho de 2010

CRIATIVIDADE: A ALMA DO NEGÓCIO!


Não é de hoje que se escreve para contar histórias, sejam elas através de livros, crônicas, contos, textos teatrais e até mesmo através de roteiros. E todas elas já foram contadas e recontadas de mil e uma maneiras, muitas vezes em exaustão, mas a todo dia sempre aparece alguém disposto a contar as mesmas histórias. E o que a faz a ser diferente? A sua criatividade!

As situações dramáticas são todas conhecidas e, exaustivamente exploradas, não há mais novidades, isso é claro e sabido, o que faz a diferença é a forma pela qual o escritor trabalha para contá-las. E a criatividade que ele emprega para contar a história que vai fazê-la única e especial, isto é, a verdadeira alma do negócio.

Por mais que conheçam as técnicas e os diversos modos de contar uma história, e que fique claro aqui que saber tudo isso é primordial e de extrema importância, que conheçam todos os segredos de arquitetar uma narrativa, que conheçam todas as situações dramáticas, só há uma maneira de contar, a sua criatividade e é ela que lhe fará ser diferente.

A sua criatividade é a sua assinatura em tudo aquilo que você escreve. É o que vai fazer a diferença e lhe destacar perante aos outros escritores, fazendo com que a sua história, mesmo com um tema batido, conquiste o leitor. Sem a criatividade, o que se obtém, é a mesmice de sempre, vide o que vem acontecendo com as novelas.

O problema é, quando por segurança ou até mesmo por preguiça ou ainda medo de arriscar, o escritor opta por utilizar apenas as técnicas de narrativas para contar a sua história, fazendo-se valer de uma fórmula de sucesso, tal e qual às novelas. Pegam-se os ingredientes, como se contar uma história fosse preparar um bolo e, servem para o público a mesma história contada da mesma maneira.

Uma história contada com a criatividade, jamais será uma história igual a outra. Usando a sua criatividade, a mesma história que fez Romeu e Julieta morrerem por amor, pode ser contada sobre um outro ponto de vista, talvez por ângulo que só você viu e que pode torná-la uma história de sucesso.

Ousar é a palavra irmã da criatividade, quando um escritor subverte o lugar comum, ou até mesmo brinca com os clichês, com certeza terá uma boa possibilidade de contar uma bela história, mesmo que ela já tenha sido exaustivamente contada. Portanto, mais do que uma boa idéia, a criatividade com a qual você pretende contar a sua história, é que é a alma do negócio.

Escrito por Paulo Sacaldassy 

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: Divulgação - Palco Giratório 2009

quinta-feira, 3 de junho de 2010

PROGRAMA ATEMPORAL


Até 19 de junho de 2010, a Casa Mercado apresenta o espetáculo Barrela, com texto do dramaturgo brasileiro Plínio Marcos. Dirigido por Paulo Giannini, a montagem do grupo Nós do Morro mantém as características do texto original e revela de forma crua a realidade carcerária do país, destacando a disputa por poder entre os presos.

Baseada em fatos reais, a peça conta a história de um rapaz de Santos, que, após ser preso, foi violentado por companheiros de cela. Solto, dois dias depois, jurou vingança e matou quatro dos presos que participaram da ação. Chocado com o relato, Plínio Marcos decidiu contar a história em forma de diálogo, imaginando situações ocorridas antes, durante e depois do episódio de violência.

Ficha Técnica

Espetáculo: Barrela
Texto: Plínio Marcos
Elenco: André Nunes, Daniel Calibam, Daniel Sobreira, Everton Machado, Franclin Rocha, Heraldo Souza, Ismael Marques, Lindolpho Neto, Ricardo Gonzaga, Ruhan Álvares e Victor Kizza
Direção: Paulo Giannini
Iluminação: Márcia Francisco
Cenografia:Paulo Giannini
Figurino:Grupo Nós do Morro
Programação Visual:Auge Design
Direção de Produção:Zezé Silva
Realização: Grupo Nós do Morro
Foto: Arthur Sherman

Serviço

Temporada: Até 19 de junho de 2010.
Horário(s): De quinta a sábado, ás 19:30hs.
Local: Casa Mercado
Endereço: Rua do Mercado, 45 Praça XV, Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2232-6576 / (0**21) 8137-3140
Ingresso(s): R$ 20,00.



O espetáculo No Piano da Patroa, em cartaz no Centro Cultural Justiça Federal, até 10 de junho de 2010, revive a história do sambista José Barbosa da Silva, vulgo "Sinhô", no ano em que se completam oito décadas da morte do artista. Por meio de um sarau, a peça mostra como os bambas do samba viviam no início do século passado. No palco, são representados mestres como Pixinguinha, Araci Cortes, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth e Donga, entre outros.

A peça, dirigida por Lena Horn, é centrada na importância do piano no surgimento da MPB e tem como cenário os encontros das casas de família, as lojas de pianos e partituras, as casas das "Tias Baianas" na praça e os cabarés. Numa época anterior ao rádio e sem televisores, era ao redor desse instrumento, nas salas de visita, que muitas famílias passavam as suas horas de lazer.

Ficha Técnica

Espetáculo: No Piano da Patroa
Direção: Lena Horn
Direção de Movimento: Regina Miranda
Cenário: Natália Lana
Figurino: Nello Marrese
Iluminação: Rogério Wiltgen
Elenco: André Araújo, Itauana Ciribelli, Jorge Lucas, Marcos França, Mareliz Rodrigues, Marcelo Rezende e Patrícia Costa
Músicos: Roberto Bürgel (Piano), Maria Clara Valle (Violoncelo) e José Batista Jr (Clarinete)
Foto: Divulgação

Serviço

Temporada: Até 10 de junho de 2010.
Horário(s): Quarta e quinta, ás 19hs.
Local: Centro Cultural Justiça Federal
Endereço: Avenida Rio Branco, 241, Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 3261-2550
Ingresso(s): R$ 25,00.



A jovem Doroty vive numa fazenda do Kansas com sua família e seu cãozinho Totó, mas deseja estar num lugar melhor. Quando tenta sair de casa, é carregada por um furacão que a leva para um outro mundo, de O Mágico de Oz. Lá, ela conhece novos amigos, como o Espantalho, sem cérebro, o Homem de Lata, sem coração, e o Leão, sem coragem. Juntos, eles tentarão superar seus limites.

O espetáculo é encenado pela atriz Carla Diaz e conta com a participação especial de Pietro Mario em vários papéis. Feita em parceria com a ONG Spetaculu, a peça conta com o trabalho de cinco alunos da instituição na equipe técnica.

Ficha Técnica

Espetáculo: O Mágico de Oz
Elenco: Carla Diaz, Elaine Moreira, Genilson Gouveia, Marcos Veras, Ronaldo Julio, Simone Molina, Carolina Calmon, Israel De Castillo, Marianna Garcia, Paula Sholl, Rafael Canedo, Ricky Gonçalves, Rodrigo Coutinho, Tammy Caroline
Ator convidado: Pietro Mario
Participação especial: Totó
Foto: Divulgação

Serviço

Temporada: Até 06 de junho de 2010.
Horário(s): Sábado e domingo, ás 17hs.
Local: Teatro das Artes
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52 - 2° andar - Shopping da Gávea, Gávea - Zona Sul - Rio de Janeiro/RJ
Telefone(s): (0**21) 2540-6004
Ingresso(s): R$ 50,00.


PASSEIOS


Jardim Zoológico do Rio de Janeiro - RioZôo

O Jardim Zoológico do Rio de Janeiro é o mais antigo do Brasil e completou 65 anos no dia 18 de março de 2010. Atravessar o Parque da Quinta da Boa Vista, antiga residência da família imperial portuguesa, e entrar hoje, por seu portão de arcos e colunas é transportar-se para o tempo de um outro país. Percorrer suas alamedas margeadas de palmeiras imperiais é como entrar nas páginas de um livro vivo de imagens e histórias de imperadores, princesas, escravos e todo tipo de gente comum que abriu os caminhos para construir, através dos anos, aquilo que somos.


O Zôo carioca oferece uma mistura única de história e fauna exuberantes. Expor animais e tentar trazer para dentro da cidade um pouco da vida selvagem começou em nosso país, mais especificamente no Rio de Janeiro, em 16 de janeiro de 1888, quando o Barão de Drumond fundou no Bairro de Vila Isabel, o primeiro zoológico brasileiro. Uma área com riachos, lagos artificiais e uma extensa coleção de animais.

Serviço

Passeio: Jardim Zoológico do Rio de Janeiro
Endereço: Praça Quinta da Boa Vista, s/n - São Cristovão - Zona Norte - Rio de Janeio/RJ
Telefone(s): (0**21) 3878-4200

Abertura: 9h
Ingresso(s): R$ 6,00 (estudantes pagam meia entrada)
Fechamento da bilheteria: 16h30
Fechamento do Parque: 17h
Gratuidade: Idosos a partir de 60 anos - Acompanhantes de deficientes físicos (até duas pessoas) - Crianças até 1 metro



Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

O Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro viu nascer parte considerável dos movimentos artísticos brasileiros e lançou boa parte de nossos artistas mais importantes.

Obra máxima de seu criador, o arquiteto carioca Affonso Eduardo Reidy, o MAM está instalado em meio a jardins no Aterro do Flamengo, junto à Baía de Guanabara, e bem próximo do centro da cidade. Suas fachadas envidraçadas trazem para o interior o paisagismo de Burle Marx, enquanto que os vãos livres têm um fim prático: a liberdade de composição oferecida ao espaço expositivo e o convite ao jardim no plano térreo.

Atualmente, o MAM possui uma coleção com milhares de obras, entre pinturas, esculturas e gravuras de artistas brasileiros e estrangeiros. Há também uma biblioteca especializada em artes e uma importante cinemateca, onde acontecem as mostras mais concorridas da cidade.

Serviço

Passeio: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
Endereço: Avenida Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo - Zona Sul - Rio de Janeiro/RJ
Funcionamento: De terça a sexta-feira, das 12hs ás 18hs - Sábado, domingo e feriados, das 12hs ás 19hs.
Observação: A bilheteria fecha 30 minutos antes do término do horário de visitação.
Telefone(s): (0**21) 2240-4944
Ingresso(s): R$ 8,00 (Exposições), R$ 4,00 (Meia) Estudantes, maiores de 60 anos e crianças até 12 anos (Em grupos com mais de 5 por responsável). Ingresso aos domingos, ingresso familia R$ 8,00 por grupo e grátis para crianças de até 12 anos
Foto: Riotur