terça-feira, 27 de abril de 2010

ROTEIROS VS. TEXTOS TEATRAIS


Existe certa confusão, principalmente em quem está se iniciando no mundo das artes, entre o que seja um roteiro para cinema e/ou TV e um texto teatral. Muito embora, aparentemente, os dois se utilizem da mesma estrutura de diálogos para contar uma história, eles são completamente diferentes em seus resultados finais.

Enquanto num roteiro é possível apresentar a história de uma forma não linear, onde a descrição de fatos não segue uma ordem cronológica e ainda se é possível utilizar-se de imagens para reforçar a ação, no texto teatral, principalmente, aqueles que optam pela estrutura “Aristotélica”, a história é contada através de uma forma linear, obedecendo a seguinte ordem: exposição, conflito e resolução.

Embora, ambos se alimentem de uma mesma ação dramática, pois colocam os seus personagens em conflitos em busca de suas resoluções, a forma em que eles são apresentados é completamente distinta e não pode ser confundida, pois cada qual representa uma linguagem diferente.

Um roteiro é peça de uma obra áudio-visual, onde além das interpretações dos atores, outros elementos, como imagens, completam a ação, já um texto teatral é peça de uma obra de artes cênicas, onde a Dramaturgia está baseada nos diálogos que permeiam as ações e interpretações dos atores.

Muitos diretores de teatro até se arriscam em misturar as duas linguagens, trabalhando artes cênicas com incursões de recursos áudio-visuais. Uns, até organizam espetáculos teatrais partindo de um roteiro e não de um texto dramatúrgico, só que no meu ponto de vista, eles estão criando uma outra linguagem e que não deve ser confundida nem como roteiro de áudio-visual, nem como texto teatral.

Mas, uma coisa precisa ficar bem clara, principalmente para quem está conhe-cendo o mundo das artes, roteiro não tem nada a ver com texto teatral, mesmo que volta e meia eles se cruzem e confundam a cabeça das pessoas, cada um tem a sua praia.

Por isso, se você faz teatro, vai se utilizar sempre de textos teatrais, já se você faz ou pretende fazer cinema, vai sempre se utilizar de roteiros. Mas, se você freqüentar as duas praias, vai ter de saber diferenciar um do outro, pois Roteiro não é Texto Teatral e nem Texto Teatral é Roteiro, ok?

Escrito por Paulo Sacaldassy 

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: Marisa Orth em O Inferno Sou Eu (2010)

sábado, 17 de abril de 2010

AOS OLHOS DO PÚBLICO OU DO CRÍTICO?


Sempre que se pensa em colocar um espetáculo nas ruas, muitos fatores são e devem ser analisados. Mas, o que mais interessa é ter a consciência de estar fazendo um trabalho com a mais pura honestidade. Desde a escolha do texto, passando pelo elenco até chegar à direção do espetáculo. E o que se quer afinal? Ora, se quer os aplausos do público!

E é isso mesmo que interessa. Qualquer outra resposta é puro discurso politicamente correto para fugir de eventuais insucessos. Agradar o público é o principal objetivo de quem monta um espetáculo, e não adianta dizer que não. E a palavra da crítica, como fica nessa história? Se vier para ajudar, muito que bem! Mas se tiver apenas o caráter pichador, deixe-a, não lhe acrescentará nada.

Dizer que um espetáculo é bom porque foi aprovado pela crítica é conversa fiada, pois desde quando a opinião e o gosto do crítico traduzem a opinião e o gosto do público? Quantos espetáculos são aclamados pelo público e desprezados pela critica? Se o crítico não entendeu, paciência. O que interessa e sempre vai interessar, é a opinião do público.

Ter a certeza que se fez o melhor que se foi possível (sim, pois ás vezes não se tem recursos para se fazer o mínimo). É o que basta. E tê-lo feito para o público e não para crítica (pois, existem muitas coisas feitas exclusivamente para agradar a crítica) já é o suficiente para justificar a sua produção.

Vise sempre dirigir um espetáculo para conquistar o público. Escreva sempre para conquistar o ator, atue sempre para conquistar a platéia. Esqueça a crítica, pois na maioria das vezes, aos olhos da crítica, nada presta. O “gostar” é uma coisa muito subjetiva na vida das pessoas e não se agrada à todos, não tem jeito.

Se por acaso, algum dia, a crítica lhe “tascar” a lenha, não lhe dê muito importância, continue firme no seu propósito de levar a sua arte da maneira que você ache a mais honesta possível, pois, a crítica... Bem... Essa, volta e meia também muda de opinião. É só o público aclamar o espetáculo como divino, para o que antes era besta, passar a ser bestial.

Aos olhos do público, não interessa o que vê os olhos da crítica, pois o público é inteligente, sabe discernir o bom do ruim. E é assim que deve e tem de ser, fazer arte para o público, se a crítica gostar, muito que bem, mas se não gostar, paciência!...

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: The Royal Shakespeare Company's Courtyard Theatre Is A Must For Theatre Lovers

sexta-feira, 9 de abril de 2010

COMO AJUDAR OS DESABRIGADOS DO RIO E DE NITERÓI


CHUVA DEIXA 3 MIL DESABRIGADOS EM NITERÓI

Cerca de 3 mil moradores do Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, na zona norte de Niterói, ficaram desabrigados após o deslizamento de terra que atingiu o local na noite de quarta-feira (7), deixando ao menos 12 mortos e 21 feridos até a noite desta quinta. Outras 86 pessoas foram resgatadas pelos bombeiros e, segundo estimativas dos bombeiros, cerca de 200 pessoas podem estar nos escombros. De acordo com a prefeitura, 200 bombeiros participaram dos trabalhos de resgate no município, que aconteceu ao longo de toda a quinta-feira. Eles devem permanecer no local até segunda ordem.

As chances de encontrar sobreviventes no Morro do Bumba são remotas. A operação de resgate é dificultada pelas próprias características do lugar. A terra desceu por cerca de 600 metros. A expectativa é que o resgate dos corpos demore no mínimo duas semanas. Niterói é a cidade que registra maior número de vítimas fatais por conta das chuvas (104 mortos, até às 22h de quinta-feira). O prefeito, Jorge Roberto Silveira, decretou estado de calamidade pública no município.

COMO AJUDAR OS DESABRIGADOS EM NITERÓI

Lista do que os desabrigados pela chuva mais precisam (por ordem de importância):
  • Água potável;
  • Alimentos prontos (bolachas, biscoitos, barras de cereais, latas de sardinha e carne enlatada, salsicha e outros mantimentos de fácil manuseio e não perecíveis);
  • Material de higiene pessoal, como escovas e pasta de dente, sabonetes, absorventes femininos e fraldas descartáveis;
  • Produtos de limpeza.

Cuidados para quem pretende fazer as doações:
  • Os alimentos devem estar dentro do prazo de validade e com a embalagem intacta. De preferência, devem ser não-perecíveis;
  • Colchões e roupas de cama devem estar em bom estado de conservação, limpos e prontos para utilização;
  • Roupas e calçados também devem estar limpos e em condições de uso;
  • Sapatos devem estar amarrados entre si (pé direito com esquerdo) e a numeração deve ser marcada do lado externo com caneta;
  • Utensílios domésticos devem estar funcionando e bem conservados.

DESABRIGADOS ESTÃO SENDO ENCAMINHADOS PARA

E.M. Rachide da Glória Salim Sacker – Rua Jandira Pereira, 620/623 – Santa Bárbara. Tel.: 2705-9788/2705-9792

E.M. Ernani Moreira Franco – Rua Bonfim, s/nº – Fonseca. Tel.: 3603-8240/3603-8241

E.M. João Brazil – Lot. Bento Pestana, s/nº – Morro do Castro. Tel.: 3714-8576/3714-8589

E.M. Paulo Freire – Rua Soares Miranda, 77 – Fonseca. Tel.: 2718-5121/2718-5159

E.M. José de Anchieta – Rua B e D, s/nº – Morro do Céu. Tel.: 2618-1549/2618-1535

E.M. Helena Antipoff – Av. Rui Barbosa, 710 – São Francisco. Tel.: 3602-4171/3602-4172

UMEI Antônio Vieira da Rocha – Rua Araújo Pimenta, s/nº – Morro do Estad. Tel.: 2717-2465/2717-2535

UMEI Prof. Nilo Neves – Rua Silveira da Mota, s/n – Boa Vista Fonseca. Tel.: 2629-3443 (THT) / 2629-3426

UMEI Senador Vasconcelos Torres – Est. Frei Orlando, 370 – Jacaré – Piratininga. Tel.: 2709-8070 / 2709-8290

Escola Estadual Duque de Caxias – Rua Albino Pereira, 300 – São Francisco. Tel.: 2710-5201‎

Quadra da Escola de Samba da Grota do Surucucú (Grota e Cachoeira)

Igreja Batista da Grota (Grota e Cachoeira)

Colégio Estadual David Capistriano (Santa Bárbara) – POSTO DE ALIMENTAÇÃO


ACEITANDO DOAÇÕES

Escola Municipal Paulo Freire – Rua Soares Miranda 77, Fonseca. Telefone: 2718-5121

Escola Estadual Alberto Brandão – Rua Castro Alves, 22 – Fonseca

Clube Canto do Rio – Rua Visconde do Rio Branco 701, Centro. Telefone: 2710-0072

Plaza Shopping – Rua Quinze de Novembro 8

Igreja Metodista de Icaraí – Rua Mariz e Barros, n° 163 Icaraí. Tel.: 2612-1143

Curso de Inglês Interface English B.I.A. – Rua Miguel de Frias, 77, sala 809 Icaraí. Tel.: 2717-8080

Studio Solutio – Rua Gavião Peixoto, 148 sala 1002 Icaraí. Tel.: 30260320 / 81535159

Colégio Salesiano – Rua Santa Rosa 207, Santa Rosa. Telefone: 3578-9400

Centro Educacional de Niterói (Centrinho) – Rua Itaguaí 173, Pé Pequeno. Telefone: 2611-0000

Creche do Gema na Martins Torres endereço: Rua Martins Torres 479, Santa Rosa

Colégio Estadual Guilherme Briggs – Rua Doutor Mário Viana 625, Santa Rosa Telefone: 2711-1966

Unilasalle – Rua Gastão Gonçalves, nº79 Santa Rosa. Tel.: 08007093773 / 21006600

Quadra da Escola de Samba Acadêmicos do Cubango – Rua Noronha Torrezão 560, Cubango

Sec. Regional de Piratininga – Estr Francisco da Cruz Nunes, nº6666 Piratininga. Tel.: (21)2609-7575 (21) 2619-8181

Bar do Meio – Av. Almirante Tamandaré, 810, Piratininga. Tel.: 2619-2505

Colegio Pluz – Rua José Bittencourt (antiga Rua 10), nº 20 (antigo Soter) Itaipú. Tel.: 2608-0088 ou 2703-3003

Igreja Presbiteriana Betânia – Av. Rui Barbosa 679, São Francisco

Colaboraram: Marize Camara - Brasil Viagem, Revista Época & Guia de Niterói