segunda-feira, 14 de junho de 2010

CHORANDO OPORTUNIDADES


Nos diversos fóruns de discussões e nos sites de relacionamentos em que participo, não é raro topar com tópicos de pessoas clamando por uma oportunidade de mostrarem os seus talentos para a escrita. Confesso que por várias vezes também clamei pela minha e escrevi alguns artigos, pedindo uma maior abertura para o novo, mas cheguei a conclusão que isso não passa de choro.

Só tem uma coisa que abre as portas para as oportunidades: o trabalho. Por mais que se peça uma chance para mostrar o quanto se é capaz, nada vai adiantar, pois o que leva alguém à algum lugar, não é o choro. Ninguém aposta em suposições, por mais talento que se tenha. Há um caminho longo a ser percorrido e um currículo à ser preenchido.

O maior problema que vejo é que muitos querem chegar ao topo usando o elevador ao invés de ir pela escada, subindo de degrau em degrau. Faço aqui a minha culpa, pois também já tive essa pressa, E não é bobagem afirmar que o melhor é a caminhada, pois é no caminho que se descobre o quanto se tem a aprender e percebe-se que tudo é mais difícil quanto se pensava.

Mudei o foco das minhas expectativas e deixei de chorar por oportunidades, passei a me concentrar em construir uma obra que valesse a pena, ou que no mínimo, causasse em alguém, o interesse em conhecê-la. Comecei aí abrir as portas para quem sabe um dia, ter minha grande oportunidade de mostrar a minha Dramaturgia à um grande número de pessoas.

Sei que ainda estou engatinhando e tenho muito a aprender, não só em termos de dramaturgia, mas em experiência de vida, mesmo. Mas, por hora, sigo firme trabalhando, divulgando a minha dramaturgia, contando com a oportunidade de outros tantos, que assim como eu, ainda estão trabalhando para alcançar os seus apogeus.

Com isso, parei de viver de sonhos e passei a ter uma realidade sólida, fincada na certeza de que meu trabalho encontrará a oportunidade que almejo. Hoje já tenho algo a mostrar, se é bom ou não, só o tempo vai dizer, mas por enquanto, tenho conseguido levar os meus textos a várias cidades, enriquecendo o meu currículo e fortalecendo o meu nome, o que vem me deixando bem satisfeito.

Quando deixei de chorar por oportunidades, enxerguei quantas oportunidades já tinham passado por mim e, que se não fosse o meu trabalho, construindo ali, silenciosamente, eu as tinha deixado passar e jamais teria visto meus textos sendo apresentados pelo país afora.

Escrito por Paulo Sacaldassy 

Colaborou: Oficina de Teatro; Foto: Espetáculo "Espía a Una Mujer Que Se Mata" (2007)

10 comentários:

  1. Simplesmente Formidável!

    Amei este estudo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Clemente,

    Quanto tempo... eu voltei!

    Beijos para a minha companhia de teatro do coração:

    CIA. DE TEATRO ATEMPORAL

    ResponderExcluir
  3. desejo que suas palavras sigam com as estrelas a iluminar as noites e com as borboletas a embelezar os dias...
    Paz e sucesso pra vcs!
    quando se apresenterem em turne venham para Paraty R.J. será um sucesso!
    Abraço.
    Priscila Lima.

    ResponderExcluir
  4. "Quando deixei de chorar por oportunidades, enxerguei quantas oportunidades já tinham passado por mim "

    mudou o meu dia!

    ResponderExcluir
  5. Como sempre, venho aqui e leio textos muito bons.Parabéns, tudo de bom.

    ResponderExcluir
  6. este blog é uma BOMBA no mundo teatral!

    tudo aqui é fantástico!

    parabéns para todos desta companhia!

    ResponderExcluir
  7. Quando choramos, na verdade acredito que tentamos enganar a nós mesmos que esta pode ser a melhor saída e queremos ser alvos de compaixão mesmo sem percebemos, porém enganamos a nós e aos outros, mas a Deus ninguém engana e Ele sim sabe a hora de quem merece o quê e quando!!! Adorei ... bjus

    ResponderExcluir
  8. Ao ler este texto fiquei bastante pensativa. Quantas vezes "eu" já chorei por oportunidades e reclamava que tudo estava difícil...
    Mas depois que mudei a minha postura e comecei a "trabalhar" para alcaçar os resultados e parar de choramingar, tudo tem melhorado na minha vida.
    O primeiro passo é enxergar a "vida" de uma maneira diferente...

    Adorei o post. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  9. Gosto da realidade e dos que nela sonham, com os pés no chão.
    Teu texto é real, verdadeiro.

    Meu desejo é de sucesso à todos vcs
    Beijos

    ResponderExcluir

A Cia. De Teatro Atemporal agradeçe os seus comentários.