segunda-feira, 24 de abril de 2017

Como Você Lida Com Os Sentimentos Negativos Que Surgem na Sua Mente?


Devido à minha profissão no lugar de ser eu apenas um, sou três: a pessoa, o ator e a personagem.

Como pessoa me disponho a trabalhar como ator e como ator disponho-me a sentir e controlar e perceber e agir a partir dos sentimentos de uma personagem.

O curioso é que por ser uma personagem eu sinto todos os seus sentimentos, mas observo-os de fora ao mesmo tempo. Impeço-os de tomarem o controle absoluto do meu ser, caso contrário seria um doente, um perigo para os espectadores, que como eu, embora sintam e se identifiquem com os sentimentos expostos em cena também os controlam.

E na vida? Como agimos enquanto pessoa?

Sempre, sempre, deixo-me levar sem controle pelos sentimentos negativos que surgem. Por exemplo: nervosismo e medo.

Vamos falar do medo. Penso que vou morrer de pânico, que estou com muito medo e não consigo pensar em outra coisa que não seja livrar-me do medo.

Enquanto ator representando eu trabalharia este medo, acolheria ele e viveria ele até o final da cena ou peça.

Na vida tenho a impressão de que aquele medo que chegou será eterno e infinito.

Nada disso, pura ilusão. Ele surge dentro de um espaço do nosso ser e também vai passar. Vai ter seu momento “cênico” e vai sumir.

Noventa por cento dos problemas que nos afligem descobrimos depois que nunca aconteceram. Os dez por cento restantes aconteceram e foram resolvidos. Logo, não há motivos para deixarmos torrentes de sentimentos perturbadores invadirem nossa alma de forma irracional.

E o mais curioso é que como ator compreendo isso, e faço isso sempre. Como pessoa...um desastre! Tenho muito ainda o que aprender em como lidar com meus sentimentos.

São meus, eu tenho que abraça-los e conhece-los e esperar com calma e tranquilidade que eles se apresentem e passem, e possa eu continuar observando e sentindo apenas aquilo que é belo e que me dá prazer ao espírito.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Freud e o Viver Cotidiano


Quando entrevistado, e já com o câncer de palato devorando suas forças, Freud respondeu à pergunta de jornalistas que desejavam saber que conselho ele daria às pessoas:

- Tenha sempre uma dose de bom humor e uma certa indiferença.

O bom humor é muito importante, ele nos livra de ficarmos enfezados (cheio de fezes) e nos leva ao engraçado (cheios de graças).

Já a “certa indiferença” evita nos preocuparmos em demasia com o que na maioria das vezes não tem nenhuma importância. Com isso fugimos do estresse e temos melhor qualidade de vida.

Coisas tão simples, mas como é difícil colocar em prática este conselho do sábio Freud.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Pessimista É Sobretudo Um Chato


Não creio que haja coisa mais desagradável ao nível de convivência que conviver com um pessimista. É definitivamente um chato.

O pessimista é sobretudo um ranzinza. Nada pra ele está bom. Nada no mundo pra ele o convence a um bom olhar sobre as coisa, acontecimentos e pessoas.

Na churrascaria reclama que a carne está dura, no País só vê desastres pela frente, nas amizades ninguém presta, ao sol afirma que em breve nuvens cobrirão a luz solar; se ganha um presente reclama que não tem mais lugar onde guardar coisas; enfim: um chato e um olhar torto sobre quaisquer das boas coisas no Mundo.

Afaste-se deste tipo de gente. Eles são capazes de destruir todas as suas esperanças num mundo melhor, no próximo, na vida.

Parecem carregar com eles todas as derrotas e aborrecimentos do mundo.

Sai fora, amigo, amiga. Não entre numa de que você é forte o suficiente para conviver com alguém assim e sair ileso., até porque não há razão para conviver com alguém que passa a vida com olhar e p falar negativo sobre tudo.

Um chato!

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;
Foto: Cena da peça "Dhumrapaan" uma comédia dramática da Zee Theatre com colaboração de Kumud Mishra

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Afinal O Clima de Outono


Não sei para os demais estados do Brasil sobretudo os do Norte e Nordeste, mais próximos da Zona do Equador, mas fato é que neste sábado – melhor dizendo, em toda esta semana – baixou afinal o clima de outono no Rio e São Paulo.

Muitas folhas secas pelo chão. Estive no Parque Villa Lobos em São Paulo, bem cedo, e fiquei encantado em ver as folhas secas cobrindo chão. A Natureza se renova.

O Céu tem estado um encantamento, de um azul belíssimo, praticamente sem nuvens, e o Sol não queima, apenas aquece. Uma temperatura amena, com noites frescas e agradáveis, excelentes para um sono reparador e também para nossos bolsos, livres do ônus pesadíssimo das contas de luz superavitadas pelo uso de ar condicionado.

É bonito ver como funciona o Universo que nos rodeia e abraça.

Escrito Por Bemvindo Sequeira

Colaboraram: Bemvindo Sequeira; entretenimento.r7.com;